Política Passos e Portas voltam esta manhã às negociações com CDS a exigir mudança de políticas

Passos e Portas voltam esta manhã às negociações com CDS a exigir mudança de políticas

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, voltam-se a reunir esta manhã para “salvar” a coligação governamental.
Passos e Portas voltam esta manhã às negociações com CDS a exigir mudança de políticas
Vasco Neves/Correio da Manhã
Marlene Carriço 04 de julho de 2013 às 09:32

Passos Coelho e Paulo Portas voltam a encontrar-se esta manhã, para prosseguir com as negociações que se iniciaram na noite de quarta-feira. A imprensa escreve que o ministro dos Negócios Estrangeiros e número dois do Governo, que viu o seu pedido de demissão ser recusado na terça-feira pelo chefe do Executivo, vai exigir maior força para o CDS/PP e mudanças de políticas, nomeadamente baixas de impostos. 

 

Com estas negociações – que se iniciaram depois da reunião da Comissão Executiva centrista –, Portas pretende conseguir renegociar um novo acordo que garanta uma “solução viável para a governação de Portugal”, de acordo com o comunicado que resultou da Comissão. “É essencial garantir a utilidade efectiva do contributo do CDS no quadro da definição das políticas da maioria”, lê-se.

 

Ainda na quarta-feira à noite, e depois de Passos chegar de Berlim, o primeiro-ministro e Paulo Portas estiveram reunidos durante duas horas. Não se sabe ao certo o que resultou desse primeiro encontro mas, de acordo com o gabinete de Passos Coelho, o encontro foi “muito produtivo”. Já o gabinete de Paulo Portas descreveu o encontro como “produtivo”, sublinhando que nada ficou fechado na primeira ronda negocial, e que só haverá acordo se o Primeiro-ministro mudar radicalmente de atitude, segundo a “TSF”.

 

A imprensa escreve hoje que Portas levará como exigências para a mesa negocial novos ministros, maior peso para o seu partido no Governo, e novas políticas, nomeadamente baixa de impostos no próximo Orçamento do Estado.

 

Segundo o “Expresso”, várias hipóteses estão em cima da mesa: o CDS pode voltar a ter três ministros, sendo necessário para tal substituir Paulo Portas, como limitar-se a subscrever um acordo de incidência parlamentar - o que representa a forma mais ténue de apoio ao Governo.


O Negócios ainda não conseguiu saber a que horas começa a reunião entre os dois governantes. A manhã desta quinta-feira promete ser agitada, já que a partir também o Conselho de Ministros já está reunido.

 

O pedido de demissão de Paulo Portas, na terça-feira, seguiu-se ao do ministro Vítor Gaspar, na segunda-feira, e da escolha de Maria Luís Albuquerque para suceder a Gaspar na pasta. Passos não aceitou o pedido de demissão de Portas, mas este já disse que não volta com a sua decisão atrás. Resta ainda saber quem irá substituir o líder do CDS no Governo.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI