Política Presidente da República: "Caminhar no sentido dos consensos e convergências é positivo"

Presidente da República: "Caminhar no sentido dos consensos e convergências é positivo"

Marcelo Rebelo de Sousa acredita que tudo o que seja caminhar no sentido da criação de consensos e convergências entre os partidos, nomeadamente em questões que superam a vigência de uma legislatura, é "positivo".
Presidente da República: "Caminhar no sentido dos consensos e convergências é positivo"
Bruno Simão
Ana Laranjeiro 06 de abril de 2016 às 14:34

Depois de conhecer várias start-ups que marcaram presença na conferência Ativar Portugal da Microsoft Portugal, o Presidente da República assinalou que todos os passos no sentido de convergências são "positivos".

 

Questionado pelos jornalistas sobre o que pensava do desafio lançado pelo Partido Social Democrata, no último congresso, para uma reforma da Segurança Social e do sistema eleitoral, Marcelo Rebelo de Sousa assinalou que "tudo o que seja caminhar no sentido dos consensos e convergências é positivo".

 

"Já dei um exemplo: a saúde. Em que há de facto um pacto aceite por todos. Só não foi assinado [porque] estavam próximas as eleições para a Assembleia da República. Mas existe verdadeiramente um pacto. Pouco a pouco pode avançar-se para outro domínio de convergência", afirmou.

 

O Presidente da República acredita que a partir do caso da saúde mais áreas podem existir em que há convergência entre os partidos, como é o caso da Segurança Social. "O que é preciso fazer é pequenos passos – naturalmente há divergências quanto a soluções de Governo, propostas de Governo e isso é bom em democracia. Depois é bom também que haja convergências em matérias que são fundamentais e que duram para além dos Governos", sublinhou acrescentando que "os pactos de regime demoram tempo a fazer".

 

Ainda em declarações aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa sustentou que "o próprio facto de haver propostas do Governo no Plano Nacional de Reformas, haver agora propostas sectoriais do PSD – porventura de outros partidos – é muito bom sinal".

 

"É o sinal primeiro que estamos com a democracia estabilizada. Há uma estabilidade política, económica e social. As pessoas não estão a discutir eleições, estão a discutir reformas, é um bom começo de vida. Em segundo lugar, é um bom começo de vida aproximarem os pontos de vista".

 

Sobre a reunião do Conselho de Estado, marcada para amanhã e que conta com a presença de Mario Draghi, presidente do BCE, Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI