Política Presidente sublinha "reconhecido mérito" de Pinto Monteiro, Carlos César e Moura Ramos

Presidente sublinha "reconhecido mérito" de Pinto Monteiro, Carlos César e Moura Ramos

O Presidente da República sublinhou esta terça-feira "o reconhecido mérito" com que o ex-PGR, Pinto Monteiro, o antigo presidente do Tribunal Constitucional, Moura Ramos, e o ex-presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, se entregaram "à causa pública".
Presidente sublinha "reconhecido mérito" de Pinto Monteiro, Carlos César e Moura Ramos
Lusa 19 de fevereiro de 2013 às 13:27

"São três personalidades que se destacaram pela sua entrega à causa pública e ao serviço de Portugal, quantas vezes com prejuízo da sua vida pessoal, fizeram-no com grande dedicação e reconhecido mérito", disse o chefe de Estado, na cerimónia em que condecorou esta manhã Pinto Monteiro, Rui Moura Ramos e Carlos César com a Grã Cruz da Ordem Militar de Cristo, que distingue personalidades que prestaram serviços de especial relevância ao país no exercício de altos cargos públicos.

 

Referindo-se ao ex-PGR Pinto Monteiro, Cavaco Silva recordou a sua "notável carreira dedicada à magistratura", sublinhando "em particular o exercício das exigentes funções de PGR num tempo particularmente delicado da justiça portuguesa".

 

Nas breves palavras que dedicou a cada um dos condecorados, Cavaco Silva lembrou também os 16 anos que Carlos César esteve à frente do Governo Regional dos Açores, tempo em que colocou "o melhor do seu esforço e saber e o seu enorme dinamismo ao serviço do progresso da região e do bem-estar dos açorianos".

 

Sobre o antigo presidente do Tribunal Constitucional Moura Ramos, que classificou como "um jurista de invulgar mérito e um académico distinto", o Presidente da República enalteceu a forma como prestigiou Portugal no exercício de cargos internacionais e como presidiu ao Tribunal Constitucional com "profundo sentido de serviço público".

 

À cerimónia de condecoração, que decorreu no Palácio de Belém, assistiram diversas personalidades, como a actual Procuradora-Geral da República, Joana Marques Vidal, o actual presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, os antigos ministros Pedro Silva Pereira e Ferro Rodrigues, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, os socialistas Manuel Alegre e Maria de Belém Roseira, entre outros.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 19.02.2013

pinto monteiro condecorado? Que vergonha. Como pode o PR falar em cobate á corrupção e depois condecora estas pessoas? Está a ficar senil este cavaco?

comentários mais recentes
Anónimo 19.02.2013

sempre acreditei na idoneidade de Cavaco, mas depois disto começo a acreditar no caso BPN.

JARANES 19.02.2013

Esta ..... tem lá a minima noção do que é a causa pública?!!!! A causa publica não é comprar acções de uma empresa de um capanga por 5 e acordar logo com ele que elas vão ser recompradas por 10, para limpar umas luvas quaisquer. Para saber o que é a causa publica este .... terá que ler todos os livros do Prof. Dr. Oliveira Salazar.

Carlos Gomes 19.02.2013

A condecoração de Pinto Monteiro, depois da sua acção, que todos conhecemos, à frente da PGR, só pode cheirar a farsa e a uma "panelinha", onde todos comem uma comida inquinada de colaboração objectiva com a corrupção e com o crime de colarinho branco neste país. De facto, não nos surpreende que a iniciativa da condecoração deste indivíduo tenha partido de Cavaco Silva, de quem a História tem muita coisa a apurar, tão logo ele esteja fora do Palácio de Belém. Será que é irrelevante o condecorador de serviço de hoje ter convidado para figurar nos seus Governos figuras como Dias Loureiro, Oliveira e Costa e Arlindo Carvalho ? Será que é irrelevante ter beneficiado de grossas mais-valias de acções de uma empresa, a SLN, que nem estava em Bolsa, quando já era objecto de todas as criminalidades económicas que, posteriormente, vieram à luz do dia ? O assobiar para o lado do anterior PGR, face a várias situações que, depois, descambaram em crimes económicos gravíssimos para o Estado e para o bolso dos contribuintes, numa compacência inaceitável e escandalosa foi agora premiado com uma condecoração ... Por quem ? Pelo PR. Pobre país que tal escória tem à sua frente a dirigir-lhe os destinos, nas várias frentes. Não se entende a presença, nesta farsa, de personalidades como Manuel Alegre ou a actual senhora Procuradora-Geral da República.

JMCS 19.02.2013

Que vergonha. E que lindo ramalhete de xuxas lá estava...

ver mais comentários
pub