Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Rui Rio diz que Cavaco deu “oportunidade única para os partidos se credibilizarem”

Partidos estão desacreditados junto da opinião pública, e se não se entenderem, os portugueses vão deixar de acreditar nos políticos. Rui Rio considera que a jogada de Cavaco foi de risco, mas disse concordar com a solução.

Miguel Baltazar/Negócios
Bruno Simões brunosimoes@negocios.pt 11 de Julho de 2013 às 13:04
  • Assine já 1€/1 mês
  • 49
  • ...

“Estou totalmente concordante com o Presidente”, afiançou o presidente da Câmara do Porto, à margem da apresentação do Anuário Financeiro dos Municípios. “Há aqui um risco, que é os partidos não serem capazes de uma coisa tão óbvia, e se os partidos não forem capazes de se entenderem em nome do interesse nacional, é evidente que os portugueses, que já hoje olham para os partidos com muito descrédito, ficam numa situação complicada”, antecipa. “Se houver eleições vão votar em quem? Não acreditam em ninguém!”, alerta.

 

Por isso, esta é uma “jogada de risco, porque os partidos estão tão desacreditados que temo que não sejam sequer capazes disso”. “Não sei se se conseguem entender ou não, mas foi-lhes dada uma oportunidade única de se poderem credibilizar perante a opinião pública”, afirma, acrescentando que “vale a pena perdermos uns dias e tentarmos arranjar uma solução mais coerente”.

 

“Não vejo que pior situação pode o País ter para que os partidos consigam perceber que o interesse nacional tem de estar acima de tudo”, nota. “No quadro em que o País está, os partidos têm obrigação de colocar o interesse nacional acima de tudo e entenderem-se naquilo que é básico”, considera.

 

Rio indisponível para ser mediador

 

Questionado sobre se poderia ser o mediador de que falou Cavaco Silva, para ajudar às negociações, Rio disse não acreditar que o recado se dirija a ele. “O que interpretei das palavras do Presidente é que pretende que os partidos se entendam e que essa personalidade seria um recurso no caso de não se entenderem”, explicou. “Uma personalidade de recurso, no caso de não se entenderem, é alguém fora dos partidos,  independente dos partidos”.

 

“Eu sou de um partido”, justificou. Rui Rio disse ainda estar disponível para terminar o seu mandato à frente da câmara do Porto.

Ver comentários
Saber mais Rui Rio Cavaco Silva Presidente da República Governo política
Outras Notícias