Política Seguro: “Sei o que é uma folha de salários. Não sou um político de corredor”

Seguro: “Sei o que é uma folha de salários. Não sou um político de corredor”

Em entrevista esta noite à SIC Notícias, o líder do PS sublinhou os conhecimentos que tem da “vida real”.
Seguro: “Sei o que é uma folha de salários. Não sou um político de corredor”
Negócios 31 de janeiro de 2013 às 00:12

“Tenho um conhecimento muito concreto da vida real, da vida concreta. Não sou um político de corredor. Estou em contacto permanente com as pessoas. Não consigo fazer política desligado das pessoas, preciso de as ouvir, de as sentir”, disse António José Seguro.

 

Ao longo de toda a entrevista, o secretário-geral do PS sublinhou que só promete aquilo que sabe que pode cumprir, ao contrário do actual Governo, que acabou por subir impostos, por exemplo. “Não sou um populista, sou um político responsável. Por vezes sou acusado de fazer poucas promessas, mas só posso prometer aquilo que posso cumprir”, disse.

 

A este propósito, Seguro referiu o facto de o Governo de Passos Coelho não ter atingido a dívida e o défice a que se propôs, e afirmou que “temos de renegociar as condições do nosso ajustamento”. “Temos de cumprir, mas com condições credíveis”, salientou.

“É preciso renegociar as condições da nossa trajectória de ajustamento e garantir que propiciam crescimento. Mas eu já dizia isso há muito tempo”. “O Governo não tinha previsto a espiral recessiva, por isso não cumpriu. Que sentido tem a governação quando há um governo que não pode cumprir aquilo que contrata?”, questionou.

 

Seguro destacou que o Memorando de Entendimento “foi negociado [com a troika] em determinadas condições, mas duas alteraram-se”: a economia da Zona Euro cresceu menos e o volume do ajustamento em termos de redução da despesa era maior do que o previsto.

Para o líder do PS, “governar um país é diferente de ter uma folha de Excel à frente. Não pode haver experimentalismo”.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI