Política Sondagem: Distância entre PS e PSD atinge mínimo desde Novembro de 2016

Sondagem: Distância entre PS e PSD atinge mínimo desde Novembro de 2016

Embora a vantagem dos socialistas seja ainda de dois dígitos, é agora bem mais diminuta do que o registado em Julho do ano passado, quando atingiu um máximo acima dos 20 pontos percentuais.
Nuno Carregueiro 12 de maio de 2018 às 20:00

O Partido Socialista recuou pelo terceiro mês consecutivo nas intenções de voto dos portugueses e o PSD atingiu o nível mais elevado desde Novembro de 2016.

 

Esta evolução, de acordo com a sondagem da Aximage para o Negócios e Correio da Manhã, dita que a distância entre os dois partidos é agora de 10,1 pontos percentuais, o que representa o nível mais reduzido desde Novembro de 2016.

 

Embora a vantagem dos socialistas seja ainda de dois dígitos, é agora bem mais diminuta do que o registado em Julho do ano passado, quando atingiu um máximo acima dos 20 pontos percentuais. Nesse mês o PS tinha 44% e o PSD de Passos Coelho 22,9%.

 

Agora o cenário é diferente. A intenção de voto no PS desceu para 37,7% no Barómetro de Maio, o que representa uma queda ligeira de três décimas face a Abril, mas é já de quase três pontos percentuais quando comparada com o resultado de Fevereiro (40,6%).

 

Já o PSD sobe 9 décimas para 27,6%, o que representa um máximo de mais de um ano, mas ainda se situa longe do máximo atingido esta legislatura (40,1% em Novembro de 2015).

 

Quanto aos restantes partidos, as alterações são diminutas. As intenções de voto no Bloco de Esquerda permanecem nos 10% e na CDU nos 7,7%. Já o CDS desce três décimas para 6,7%.


 

Costa desce e Rio supera Catarina

 

Na avaliação aos líderes dos partidos, António Costa continua destacado na frente, mas viu a nota baixar mais de um ponto percentual para 12,6.

 

Já Rui Rio sobe para 11 e consegue superar Catarina Martins, que desce ligeiramente para 10,9. Jerónimo de Sousa (9,6) e Assunção Cristas (8,8) permanecem com notas negativas, embora tenham subido ligeiramente face a Abril.

 

António Costa tem outra má notícia neste Barómetro, já que o índice de expectativas no seu governo situou-se em Maio nos 49 pontos, ficando assim abaixo dos 50 pela primeira vez no último ano.

 

Também na confiança para primeiro-ministro António Costa viu o seu resultado descer dois pontos (para 59,8%), permanecendo à frente de Rui Rio (que sobe mais de dois pontos para 29%).   

 

Já na avaliação que os portugueses fazem aos ministros, Mário Centeno é de longe considerado o melhor, e Adalberto Campos Fernandes surge também destacado como o pior ministro do Governo de Costa.

 

   

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI