Política Tancos: Marcelo diz que férias de Costa não impedem "continuidade institucional"

Tancos: Marcelo diz que férias de Costa não impedem "continuidade institucional"

Minutos depois das declarações do Presidente da República, o gabinete do primeiro-ministro divulgou um comunicado em que confirma que António Costa está de férias durante uma semana, mas "sempre contactável e disponível."
Tancos: Marcelo diz que férias de Costa não impedem "continuidade institucional"
Miguel Baltazar/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 03 de julho de 2017 às 18:54
O Presidente da República considera que o facto de o primeiro-ministro António Costa se encontrar de férias não perturba os assuntos que o Chefe de Estado tem a tratar com o Governo, que são neste caso articulados com o ministro Augusto Santos Silva.

"Eu tenho tratado tudo o que tenho a tratar com o substituto do senhor primeiro-ministro, que é o senhor ministro dos Negócios Estrangeiros. Portanto há uma continuidade institucional. Quando o senhor primeiro-ministro não se encontra no território português, por visita ou férias, é substituído pelo senhor ministro dos Negócios Estrangeiros," afirmou Marcelo Rebelo de Sousa em Lisboa.

A questão, que lhe tinha sido colocada pelos jornalistas esta segunda-feira, 3 de Julho, vem na sequência de uma notícia do jornal i que dá conta de que António Costa está ausente do país até 12 de Julho com uma interrupção pelo meio, numa altura em que estão a ser apuradas responsabilidades e os contornos do roubo de material militar na quarta-feira passada nos Paióis Nacionais de Tancos.

Minutos depois de Marcelo Rebelo de Sousa falar aos jornalistas, o gabinete do primeiro-ministro veio esclarecer em comunicado às redacções que, mesmo em férias, "o primeiro-ministro está sempre contactável e disponível em caso de necessidade."

São Bento argumenta, na nota, que a semana de pausa de Costa foi organizada e planificada "em tempo (…) de forma a garantir as necessárias substituições para assegurar o normal funcionamento do Governo" e reafirma que é Santos Silva quem o substitui.

A ida de Costa para férias foi sugerida também esta segunda-feira por Assunção Cristas durante uma declaração após a audiência urgente que pediu ao Presidente da República para falar de Tancos e dos incêndios na região Centro.

"Senhor primeiro-ministro: volte e demita" os dois ministros, reclamou a líder centrista, referindo-se aos titulares da pasta da Defesa (por causa de Tancos) e da Administração Interna (a respeito dos incêndios de Pedrógão Grande).

"Não comento posições de partidos. Ouvi, foi-me comunicado, foi um gesto de gentileza institucional, mas não comento posições deste ou daquele partido," disse Marcelo Rebelo de Sousa sobre as declarações de Cristas.

O Presidente não quis também comentar a intenção de oficiais deporem espadas à porta da Presidência da República como forma de protesto pelo afastamento temporário pelo chefe do Estado-Maior do Exército de cinco comandantes no âmbito das investigações aos roubos de Tancos, como avança o Expresso.

"Limito-me a dizer o que já disse ontem: na matéria de Tancos deve ser apurado tudo, factos e responsabilidades, integralmente até ao fim, para prevenir factos de futuro idênticos a este ou mais graves," afirmou.

O furto de material de guerra em paióis de Tancos foi detectado na quarta-feira ao final do dia. O Exército anunciou então que desapareceram granadas de mão ofensivas e munições de calibre de nove milímetros, refere a Lusa.

(Notícia actualizada às 19:02 com mais informação)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI