Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Direita ultraconservadora alcança maioria absoluta na Polónia

O partido nacionalista e eurocéptico conseguiu mesmo chegar à maioria absoluta nas eleições realizadas no passado domingo. O Lei e Justiça chegou aos 37,58% dos votos, o que lhe garante 235 assentos na câmara baixa do Parlamento polaco.

David Santiago dsantiago@negocios.pt 28 de Outubro de 2015 às 14:50
  • Assine já 1€/1 mês
  • 11
  • ...

As eleições polacas resultaram mesmo numa maioria absoluta para o partido Lei e Justiça (PiS). De acordo com os dados oficiais divulgados pelas autoridades polacas, aquele partido conservador, nacionalista e eurocéptico alcançou 37,58% dos votos, o que lhe garante 235 deputados no total de 460 que compõem a câmara baixa do parlamento polaco. 

 

O partido ultraconservador, fundado em 2011 pelos gémeos Lech e Jaroslaw Kacynski, consegue assim obter a primeira maioria absoluta de um só partido desde a implosão da União Soviética. Ficando dispensado de negociar coligações e garantindo maior capacidade para aplicar o seu programa eleitoral e agenda ideológica. Além do mais, també o presidente da República do país é Andrzej Duda, um elemento do PiS que venceu com alguma surpresa as presidencais de Maio último. 

 

Entre os objectivos do partido liderado por Jaroslaw Kacynski está a "purificação da Polónia" através de uma visão profundamente nacionalista e do respeito pelos valores tradicionais católicos.

 

Ao longo da campanha, a candidata a primeira-ministra pelo PiS, Beata Szydlo, prometeu aumentar a despesa pública com o intuito de apoiar as famílias mais pobres e elevar os impostos sobre a banca e as grandes retalhistas. No essencial, as proposta do PiS passam por reforçar a intervenção do Estado polaco na economia.   

 

Já a Plataforma Cívica (PO), no poder desde 2007, ficou-se pela segunda posição com 24,09% dos votos e um total de 138 mandatos parlamentares. Quatro outras forças partidárias conseguiram eleger mandatos.


Com 8,81% e 42 mandatos, o Kukiz’15 liderado pelo conservador e estrela de música rock, Pawel Kukiz, ficou na terceira posição, seguido do partido liberal Moderno que conseguiu 7,6% e 28 assentos parlamentares. Já o Partido Popular Polaco alcançou 5,13% e elegeu 16 deputados. Nota ainda para a Minoria Germânica que mantém um assento parlamentar.

A vitória do eurocéptico PiS também poderá significar uma mudança nas políticas pró-União Europeia seguidas pela PO. O PiS, além de se opor à política europeia relativa às crises migratória e dos refugiados, também tem uma posição mais céptica face à adesão polaca ao euro. Por outro lado, o PiS tem desde há algum tempo defendido a NATO mantenha uma posição permanente em solo polaco, de forma a dissuadir a alegada ameaça russa.

 

Ver comentários
Saber mais Polónia Eleições Lei e Justiça Plataforma Cívica Beata Szydlo Jaroslaw Kacynski
Mais lidas
Outras Notícias