Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PS pede explicações ao Governo sobre supressão da ligação até Vigo

O deputado socialista Renato Sampaio vai apresentar um requerimento ao Ministério da Economia sobre os objetivos da supressão da ligação ferroviária até Vigo, Espanha, e admite chamar o ministro Álvaro Santos Pereira ao Parlamento.

Lusa 04 de Julho de 2011 às 18:06
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
"É uma decisão de profunda irresponsabilidade e que não pode ser técnica ou económica. Tem de ser uma decisão politica e por isso estou a ponderar chamar o senhor ministro a responder na Comissão de Economia e Obras Públicas", afirmou à Lusa Renato Sampaio, eleito deputado pelo Porto.


O também líder da Federação do PS/Porto acrescenta que a ligação entre Porto e Vigo "só não é rentável" sem um investimento na infraestrutura, tendo em conta o "intercâmbio social e económico que existe entre Norte de Portugal e a Galiza".

"É preciso criar condições para que seja um serviço competitivo, em termos da comodidade do material circulante e do tempo de viagem", sustentou.

O anúncio de supressão da ligação ferroviária até Vigo já a partir de domingo também mereceu hoje a dura critica da estrutura regional do Porto do PCP, lembrando "diversos ataques ao longo dos últimos anos".

Em comunicado, o partido acrescenta que a decisão agora conhecida "agrava os custos e as dificuldades de mobilidade da população" e surge "após a introdução de portagens nas SCUT, designadamente na A28, acrescentando mais obstáculos à mobilidade".

Critica ainda a "falta de perspetiva de desenvolvimento" e "o desprezo pelas potencialidades que resultam para a economia nacional das ligações ferroviárias internacionais".

O comunicado afirma que o Grupo Parlamentar do PCP apresentará esta semana um Projeto de Resolução recomendando ao Governo a modernização da ligação ferroviária de passageiros e mercadorias entre Porto e Vigo, "bem como medidas no sentido da valorização desta ligação, em articulação com infraestruturas da região, como o Aeroporto do Porto e o Porto de Leixões".

O Movimento pró-Partido do Norte (MPN) também já criticou esta decisão, que diz ser uma "arbitrariedade absurda dirigida em especial contra o Norte, a sua economia e a sua mobilidade social".

Em comunicado, o MPN contesta a "agravante de ser uma medida que boicota a relação transfronteiriça" tomada por um "poder centralista", depois "de boicotar a construção de uma nova linha Porto-Vigo de velocidade elevada".

O MPN "exorta o Governo a suspender imediatamente" esta medida e "a preparar a imediata regionalização da CP".

"Caso considere que tal crime é justificável pela situação financeira a que o centralismo levou o país", o MPN reclama a "imediata" suspensão da ligação Lisboa Irun/Madrid.

"Com resultados muito mais negativos e custosos para o país, ainda por cima resultado das mordomias ferroviárias lisboetas nas suas luxuosas carruagens Talgo", rematam o comunicado.



Ver comentários
Outras Notícias