Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PSD tenta desmistificar "mentiras" e "intoxicação" de adversários políticos

O líder do PSD procurou hoje desmistificar "mentiras" e uma "intoxicação que não é honesta" e que tem sido feita pelos seus adversários, insistindo que os sociais-democratas defendem o ensino obrigatório gratuito.

Lusa 16 de Maio de 2011 às 18:45
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
"Temos nesta campanha de desmitificar um conjunto de mentiras e uma intoxicação que não é honesta que tem vindo a ser feita por adversários políticos nossos", afirmou o líder social-democrata, Pedro Passos Coelho, durante um almoço de pré-campanha com professores, em Vila Franca de Xira.

Num longo discurso em que foi deixando 'farpas' aos adversários, em especial ao PS, Passos Coelho garantiu que o partido defende que "o ensino obrigatório tem de ser gratuito" e prometeu velar para que todos tenham lugar à educação independentemente dos seus rendimentos.

Passos Coelho recusou ainda a ideia que o PSD só defende "os privados", mas rejeitou também o "preconceito" socialista de que "tudo o que não é controlado directamente pelo Estado tem de ser fiscalizado com muito mais intensidade do que aquilo que está na rede estatal".

"Dizem que nós só queremos os privados, eles só querem os públicos. Mas a verdade é que eu conheço muitas instituições que são instituições ligadas claramente a pessoas que tem proeminência histórica até ao nível de outros partidos, nós sabemos bem que nem sempre houve transparência na forma como utilizou o nosso dinheiro para poder apoiar uns e não outros", disse.

Sobre as medidas para educação que o PSD propõe, Passos Coelho reconheceu que algumas têm de ser melhoradas, pois "o PSD não é daqueles partidos que acha que tudo aquilo que produz é uma obra-prima".

"s vezes há políticos que preferem deixar o país cair no charco e na bancarrota só para não dizer que falharam. Nós não nos importamos de reconhecer que há aspectos que precisam de ser melhorados e melhoraremos na nossa prática governativa", disse.

Recusando a prática de fazer reformas por "decreto" e insistindo de que as alterações têm de ser feitas depois de "conquistar os professores para a mudança", o líder social-democrata avançou com algumas propostas, como a de dar mais autonomia às escolas e fazer um reexame de todos os "mega-agrupamentos que foram constituídos.

A aposta da exigência e no rigor foi outra das promessas deixadas por Passos Coelho que prometeu deixar de "mascarar" o insucesso escolar, apostando em exames no final de cada ciclo, revogar o actual sistema de avaliação dos professores e implementar outro "mais justo, honesto e estabilizador para as escolas".





























Ver comentários
Saber mais PSD Política Eleições
Outras Notícias