Europeias Rangel quer que PS diga se prefere líder da Comissão Europeia alemão ou português

Rangel quer que PS diga se prefere líder da Comissão Europeia alemão ou português

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS às europeias, Paulo Rangel, desafiou os socialistas António José Seguro e Francisco Assis a dizerem se consideram melhor para Portugal o líder da Comissão Europeia ser um alemão ou um português.
Rangel quer que PS diga se prefere líder da Comissão Europeia alemão ou português
Lusa 31 de março de 2014 às 00:34

"Acham que é melhor para Portugal ter à frente da Comissão Europeia um alemão, que é o candidato apoiado pelo Partido Socialista português, ou um português? O que acham que é melhor para Portugal? Esta resposta é que eles têm de dar", afirmou Paulo Rangel este domingo, referindo-se ao apoio dado pelo PS à candidatura de Martin Schulz, pelo Partido Socialista Europeu, à presidência da Comissão Europeia.

 

Em Barcelos, à margem de uma sessão pública com militantes, Rangel instou também o líder do PS e o cabeça de lista deste partido às europeias para esclarecerem publicamente se concordam com a avaliação negativa que os socialistas José Sócrates e Pedro Silva Pereira fizeram à presidência de Durão Barroso na Comissão Europeia.

 

"Silva Pereira disse que Durão Barroso foi um mau presidente da Comissão Europeia, Sócrates disse que foi medíocre. António José Seguro e Assis estão ou não de acordo com esta qualificação?", questionou.

 

Rangel refutou ainda as afirmações de Pedro Silva Pereira, que no sábado o acusou de estar a tentar "desviar as atenções do facto de ser o candidato do Governo" e respondeu ao socialista. "Sou o candidato do actual Governo, não sou candidato do Governo de José Sócrates que nos trouxe à bancarrota", referiu.

 

Segundo Paulo Rangel, a lista do PS às europeias integra antigos ministros do "Governo do pecado original" (António Guterres) e do "Governo do pecado capital" (José Sócrates).

 

O candidato sublinhou que a "desgraça orçamental de Portugal começou pelo Governo de António Guterres" e que o Governo liderado por José Sócrates "conduziu Portugal à bancarrota". "E o líder da lista do PS às Europeias [Francisco Assis] foi líder parlamentar dos governos do pecado original e do pecado capital", ironizou.

 

Para Rangel, "o que se joga nas eleições europeias é o regresso ou não ao passado". "Vamos premiar quem errou ou quem corrigiu? Vamos castigar quem errou ou quem corrigiu?", indagou, mostrando-se confiante na vitória nas eleições de 25 de maio.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI