Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Catarina Martins: "Discurso de Cavaco é inaceitável. Não pela decisão, mas pelo que disse a seguir"

Catarina Martins, porta-voz do Bloco de Esquerda, acusou Cavaco Silva de fazer de tudo para "manter o seu partido no poder" e reitera que vai chumbar o programa e Orçamento que será apresentado pelo PSD/CDS-PP.

Um Governo que 'não tenha Pedro Passos Coelho nem Paulo Portas, que vire a página da direita e que permita proteger emprego, salários e pensões', e cuja forma 'será conhecida logo que possível', em 'um dia ou dois'.
Miguel Baltazar/Negócios
Liliana Borges LilianaBorges@negocios.pt 22 de Outubro de 2015 às 21:18
  • Assine já 1€/1 mês
  • 83
  • ...

"O discurso que acabámos de ouvir do Presidente da República é um discurso inaceitável porque apela à instabilidade do país e tenta reverter o que é o regime democrático e a decisão dos portugueses", reagiu Catarina Martins, porta-voz do Bloco de Esquerda, à decisão do Presidente da República, Cavaco Silva, de indigitar a coligação PSD/CDS, com a liderança de Pedro Passos Coelho, vencedora das eleições legislativas de 4 de Outubro, que desde então tem procurado um acordo com o Partido Socialista, uma vez que a votação não foi suficiente para conquistar a maioria absoluta no Parlamento.

 

"Não o digo pela decisão de indigitar Pedro Passos Coelho, mas pelo que disse depois", sublinhou Catarina Martins. A porta-voz do Bloco de Esquerda (BE) disse ainda que não aceitava a existência de "partidos com mais responsabilidades do que outros", afirmou. "O Bloco de Esquerda tem tanta legitimidade como outro partido para viabilizar um Governo e ser responsável pela tomada de decisões do país", acrescentou.

"O senhor Presidente da República veio hoje dizer que prefere toda a instabilidade e todo o impasse politico desde que isso assegure o seu partido no poder", repetiu Catarina Martins, acusando ainda Cavaco Silva de "irresponsabilidade". "Temos um Presidente da República absolutamente irresponsável, e é feito com falsos pretextos", acusou. "Não só o discurso não tem nenhum sentido, como está a criar a ideia de uma instabilidade que não existe", afirmou a porta-voz bloquista. 

A maior crítica de Catarina Martins a Cavaco Silva centrou-se não na decisão da nomeação de Passos Coelho, "uma possibilidade prevista na Constituição", enquanto "candidatura mais votada", mas sim por assentar numa decisão que "não tem condições de estabilidade", garantindo que a coligação PSD/CDS "não será capaz de fazer passar o seu programa. porque será rejeitado", assim como o Orçamento. A deputada bloquista, reiterou que, "sendo certo que podia tomar a decisão formal que bem entendesse, a verdade é que fez uma série de afirmações em que considera que só existem alguns partidos".

Para Catarina Martins, as afirmações de Cavaco desvalorizam "o voto de um milhão de pessoas que votou, sem ser nos partidos que o Presidente da República acha que podem criar Governo". "É terrível para um regime democrático se coloque em tal situação", comentou.

"O que é questionável é que traga um veto de decisões políticas e democráticas que ignoram resultados que não são os que deseja. Não é aceitável que um Presidente não aceite soluções sufragadas no país e no Parlamento. O senhor Presidente não pode pôr e dispor. Tem de ouvir e respeitar a voz das eleições", conclui.

 

Catarina Martins foi mais longe e acusou o Presidente da República de chantagem. "Está a condicionar as decisões dos deputados eleitos por voto eleito directo". "Comigo não fará chantagem de certeza", garantiu Catarina Martins. 


(notícia actualizada com mais informação às 22:06)

Ver comentários
Saber mais Presidente da República Catarina Martins porta-voz do Bloco de Esquerda Cavaco Silva PSD CDS Pedro Passos Coelho Partido Socialista BE Bloco de Esquerda Governo política partidos e movimentos
Outras Notícias