Legislativas "Estão a ver o vice-primeiro-ministro Jerónimo de Sousa ir aos EUA negociar?"

"Estão a ver o vice-primeiro-ministro Jerónimo de Sousa ir aos EUA negociar?"

A coligação está a fazer campanha no distrito de Braga. Ao almoço, em Guimarães, Moreira da Silva considera que Paulo Portas tem categoria para ser vice-primeiro-ministro, mas que isso falta a Jerónimo de Sousa ou Catarina Martins.
"Estão a ver o vice-primeiro-ministro Jerónimo de Sousa ir aos EUA negociar?"
Miguel Baltazar/Negócios
Bruno Simões 27 de setembro de 2015 às 17:56

A coligação está de volta ao ponto de partida. A Maratona Portugal à Frente, que está em campanha, este domingo, no distrito de Braga, marcou um almoço para o restaurante MitPenha, o local simbólico onde foi firmado, em Maio, o acordo de pré-coligação entre os dois partidos. PSD e CDS conseguiram encher a sala e Jorge Moreira da Silva, cabeça-de-lista pelo distrito bracarense, aproveitou para criticar o PS e os eventuais acordos que possam ser feitos entre António Costa e os partidos mais à esquerda.


O ministro do Ambiente falou antes do início da refeição e começou logo a mandar uma farpa à comitiva do PS, que também está em Guimarães. "À mesma hora que estamos reunidos outros estão reunidos com menos de metade da mobilização com que aqui estamos", afirmou, para recolher os aplausos da plateia. As críticas continuaram. "Enquanto estávamos a reformar o PS entreteu-se a syrizar", disse Moreira da Silva, mostrando repúdio pelo facto de os socialistas criticarem as boas notícias no campo económico.


"Ouvi cabeças-de-lista do PS dizer que estávamos perante uma quadrilha e que precisávamos de derrotar a coligação por uma questão de higiene democrática", lamentou Moreira da Silva, comentando que se trata "do cúmulo da desfaçatez" e do "cúmulo da agressividade e de falta de urbanidade". "Onde estava o PS quando andamos pelos portugueses a limpar todos os estragos da farra e da festa socialista antes de 2011?", questionou.


O famalicense censurou ainda a postura de Costa, que já prometeu chumbar um orçamento do PSD/CDS caso perca as eleições. "Quando o PS diz que se perder as eleições bloqueia tudo está a ter um comportamento inacreditável do ponto de vista da cultura democrática". O ministro elogiou depois Paulo Portas e o seu sentido de Estado, bem como a capacidade de reformar a Administração Pública.


E desvalorizou, nesse ponto, os líderes do Bloco de Esquerda e PCP. "Quem poderia ser vice-primeiro-ministro além de Paulo Portas?", disse, numa alusão a uma eventual vitória sem maioria do PS. "Estão a ver o vice-primeiro-ministro Jerónimo de Sousa meter-se num avião para ir a Washington negociar com o vice-presidente Joe Biden para pedir mais investimento para Portugal? Estão a ver a vice-primeira-ministra Catarina Martins a fazer o mesmo?". A sala aplaudiu.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI