Legislativas Eurosondagem: PS continua à frente em percentagem e atrás em mandatos

Eurosondagem: PS continua à frente em percentagem e atrás em mandatos

O estudo de opinião para a SIC e o Expresso mantém o PS à frente da coligação PSD/CDS nas intenções de voto, mas novamente com menos mandatos. Os socialistas perderam 1 ponto para a coligação face ao barómetro da Eurosondagem da semana passada.
Eurosondagem: PS continua à frente em percentagem e atrás em mandatos
Bruno Simão/Negócios
David Santiago 25 de setembro de 2015 às 12:36

O PS e a coligação Portugal à frente (PSD/CDS) continuam a registar um empate técnico nas intenções de voto. Esta é uma das principais conclusões da sondagem da Eurosondagem para a SIC e o Expresso que foi divulgada esta sexta-feira, 25 de Setembro, e volta a colocar os socialistas na liderança, mas com uma vantagem de apenas 0,5 pontos percentuais face aos partidos da coligação.

 

Em relação ao barómetro da Eurosondagem da semana passada, o PS sobe meio ponto para os 36%, perdendo assim terreno para PSD e CDS que subiram 1,5 pontos para os 35,5%. Uma vez mais, com os resultados desta sondagem o PS seria a força partidária mais votada mas elegeria menos mandatos do que a coligação Portugal à Frente.

 

O partido liderado por António Costa conseguiria eleger entre 97 e 102 deputados. Pelo seu lado, a coligação alcançaria entre 100 e 103 assentos parlamentares. Este estudo de opinião confirma a tendência de aproximação dos partidos da actual maioria governativa relativamente aos socialistas e, tal como na sondagem da semana passada, a conversão de votos em mandatos decorrente do sistema eleitoral (Método de Hondt) faz com que o PS apesar de se assumir como o partido mais votado consiga eleger menos deputados do que a coligação. 

Questionado sobre quem deve o Presidente da República encargar de formar Governo no pós-eleições, caso esta situação se verifique, o constitucionalista Jorge Miranda notava que "o que interessa é o número de mandatos"

Os partidos que compõem o designado "arco da governação" são mesmo os únicos que sobem em relação à semana passada. A CDU cai ligeiramente para os 10,1%, um resultado que permitiria à coligação entre o PCP e Os Verdes eleger entre 20 e 22 deputados. Também o Bloco de Esquerda recua ligeiros 0,2 pontos para os 5%, o que garantiria cinco a sete deputados aos bloquistas.

 

Por fim, o PDR de Marinho e Pinto e o Livre/Tempo de Avançar caem 0,3 pontos percentuais, comparativamente com a sondagem da sexta-feira passada, para 1,9% e 1,5%, respectivamente. Contudo, transpondo estas percentagens para mandatos, o partido liderado pelo advogado Marinho e Pinto, apesar de poder eleger um ou dois deputados, corre também o risco de não conseguir nenhum mandato. Já o Livre conseguiria eleger um deputado, provavelmente Rui Tavares, cabeça-de-lista pelo círculo de Lisboa. 

O estudo da Eurosondagem colocava também a questão aos inquiridos sobre quem será o próximo primeiro-ministro. Também aqui se verifica uma aproximação de Passos Coelho, actual primeiro-ministro, relativamente a seu principal adversário, António Costa. 44,8% dos inquiridos estão convictos de que será Costa a "residir" em São Bento, enquanto 40% apostam em Passos para continuar como chefe do Governo.  

Transposição para mandatos dos resultados da sondagem da Eurosondagem:

Portugal à Frente (PSD/CDS): 100 – 103 deputados

PS: 97 – 102 deputados

CDU: 20 – 22 deputados

BE: 5 – 7 deputados

PDR: 0 – 2 deputados

Livre: 1 deputado

(Notícia actualizada às 13h00)




pub