Legislativas Eurosondagem: PS e coligação separados por 1 ponto percentual

Eurosondagem: PS e coligação separados por 1 ponto percentual

A distância entre o PS e a coligação PSD/CDS voltou a recuar em Setembro, mostra a última sondagem da Eurosondagem para a SIC e o Expresso, situando-se em apenas um ponto percentual, a menor distância desde que António Costa assumiu a liderança do partido.
Eurosondagem: PS e coligação separados por 1 ponto percentual
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 04 de setembro de 2015 às 13:04

A precisamente um mês das eleições legislativas agendadas para 4 de Outubro, é cada vez mais difícil antecipar qual a força política que vai vencer o sufrágio. A última sondagem da Eurosondagem para a SIC e o Expresso aponta para uma descida, do PS, de 0,3 pontos percentuais em Setembro para 36% das intenções de voto. Já a coligação PSD/CDS subiu ligeiros 0,2 pontos para 35%, encurtando para apenas um ponto percentual a vantagem dos socialistas face à coligação Portugal à Frente (PaF).

 

PS e PaF estão assim perante um empate técnico, que configura a menor distância entre as duas forças desde que António Costa assumiu a liderança dos socialistas no final do ano passado. Os estudos da Eurosondagem confirmam ainda a tendência de recuperação desde que a 25 de Abril, Passos Coelho, primeiro-ministro e presidente do PSD, e Paulo Portas, líder do CDS e vice-primeiro-ministro, anunciaram a primeira coligação pré-eleitoral entre os dois partidos desde 1979.

 

O jornal Expresso recorda que em Maio o PS detinha uma vantagem de 4,5 pontos percentuais relativamente à coligação, diferença que caiu sistematicamente até ao ponto percentual agora verificado.

 

A CDU (coligação entre o PCP e Os Verdes) foi a outra força a ganhar entre Agosto e Setembro, com uma subida de 0,4 pontos para 10,4%. A coligação encabeçada por Jerónimo de Sousa distanciou-se do BE e reafirmou a terceira posição. Já os bloquistas recuaram 0,4 pontos para 4,6%. Tanto o PDR de Marinho e Pinto e o Livre/Tempo de Avançar mantiveram-se estáveis com 2,3% e 1,7% das intenções de voto, respectivamente. 

Só Catarina Martins não aumentou popularidade

Entre Agosto e Setembro todos os líderes dos partidos com assento parlamentar elevaram os seus níveis de popularidade junto dos inquiridos pela Eurosondagem, à excepção de Catarina Martins, porta-voz bloquista, que registou uma variação nula mantendo-se com uma avaliação global positiva de 1,4 pontos.

E apesar da progressiva queda do PS nas intenções de voto, Costa voltou a ganhar popularidade e permanece como o líder político nacional mais popular. O ex-edil lisboeta subiu dois pontos para uma avaliação positiva de 22,4 pontos. Segue-se Paulo Portas com uma subida de ligeiros 0,4 pontos para 11,1 pontos e Jerónimo de Sousa com um crescimento de 1 ponto para uma classificação de 6 pontos.


Nota ainda para Pedro Passos Coelho que com um aumento de 2,1 pontos em Setembro, passou, pela primeira vez em três anos, a deter um saldo de popularidade positivo. Já o Presidente da República, Cavaco Silva, apesar de subida de 1,1 pontos, continua com um saldo de popularidade negativo. 


(Notícia actualizada às 13h12)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI