Presidenciais Candidatos às Presidencias confiantes em queda da abstenção

Candidatos às Presidencias confiantes em queda da abstenção

Os 10 candidatos ao cargo de Presidente da República já votaram este domingo, sendo que a maioria mostrou confiança numa queda da abstenção face às últimas Presidenciais. Até às 12:00 a afluência às urnas é superior.
Candidatos às Presidencias confiantes em queda da abstenção
Miguel Baltazar
Negócios com Lusa 24 de janeiro de 2016 às 15:47

Afluência às urnas para a eleição do novo presidente da República situava-se, até às 12:00 de hoje, nos 15,82%, segundo dados da Comissão Nacional de Eleições. Nas últimas eleições presidenciais, a 23 de Janeiro de 2011, e à mesma hora, a afluência às urnas foi de 13,39%.

 

 

Marcelo Rebelo de Sousa

O candidato presidencial Marcelo Rebelo de Sousa espera que haja hoje "uma taxa de participação muito significativa" dos portugueses nas eleições e que a abstenção baixe dos 53% das últimas presidenciais, mostrando-se "serenamente confiante".

 

"Espero que a abstenção baixe, nomeadamente em relação à última, que foi uma reeleição e normalmente nas reeleições a abstenção é sempre maior que numa primeira eleição. Espero que baixe dos 53% que teve na última reeleição e que fique próximo ou não muito distante da votação que houve nas últimas legislativas", disse Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas. O candidato votou em Molares, Celorico de Basto, onde teve a surpresa da presença do filho Nuno, que veio do Brasil para estar com o pai no dia das eleições.

 

Jorge Sequeira

O candidato presidencial Jorge Sequeira disse esperar que o dia de hoje seja um dia de "cidadania plena" em que a abstenção seja menor, uma vez que há "uma ementa variada" da qual escolher.

 

"Espero que seja um dia de cidadania plena, de democraticidade. É incrível esta invenção da Humanidade que uma pessoa, só com uma caneta, [pode] fazer uma cruzinha e mudar o mundo. Isso deixa-me radiante. É um dia em que os portugueses têm que ter orgulho pela liberdade que conquistaram e agora há que exercê-la", afirmou o candidato presidencial aos jornalistas antes de votar na escola Clara de Resende, no Porto.

 

Henrique Neto

O candidato presidencial Henrique Neto disse hoje estar "optimista" numa elevada afluência às urnas e considerou que um bom resultado já seria a maioria dos portugueses votarem. Passavam dois minutos das 11:00 quando Henrique Neto chegou à sua secção de voto na Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, no Chiado, em Lisboa.

 

Depois de votar, o candidato a Presidente da República disse que um bom resultado já seria a maioria dos portugueses votarem. "É muito importante que os portugueses votem hoje porque é uma forma de se responsabilizarem por aquilo que acontecer no país nos próximos meses e anos", sustentou.

 

 

António Sampaio da Nóvoa

O candidato presidencial António Sampaio da Nóvoa votou hoje poucos minutos depois das 11:00 em Oeiras e fez um apelo à participação, sublinhando que estas eleições "são muito importantes" e "contam muito".

 

"É muito importante que se diminua a abstenção, que as pessoas percebam que estas eleições presidenciais são muito importantes, que contam muito e se mobilizem para vir votar", afirmou António Sampaio da Nóvoa. O candidato à Presidência da República falava aos jornalistas após ter votado na Escola Básica 2,3 Conde de Oeiras.

 

Maria de Belém

A candidata à Presidência da República Maria de Belém Roseira votou esta manhã em Colares, Sintra, onde disse esperar uma boa participação nas eleições presidenciais de hoje sublinhou que será um sinal de "boa democracia".

 

"Espero que haja uma grande participação neste ato eleitoral que é muito importante, como são todos, porque uma grande participação é sinal de boa democracia", afirmou aos jornalistas à saída do Cineteatro José Gomes da Silva. Maria de Belém Roseira acrescentou ainda que aquilo que deseja é que "muita gente participe e vote bem".

 

Marisa Matias

A candidata presidencial Marisa Matias disse hoje, em Coimbra, esperar que "toda a gente" vote e que a campanha eleitoral tenha servido para esclarecer as pessoas sobre as propostas existentes.

 

Marisa Matias falava aos jornalistas hoje, alguns minutos depois das 10:00, após ter exercido o seu direito de voto, numa assembleia de voto, instalada na Escola Secundária Avelar Brotero, em Coimbra, cidade onde reside. Hoje "é um dia importante, como todos os dias de eleições" porque "podemos exercer o nosso direito de voto", acrescentou a eurodeputada. "Se alguma coisa posso dizer, é que toda a gente venha votar", insistiu. 

 

Edgar Silva

O candidato presidencial Edgar Silva, afirmou hoje estar "profundamente confiante" e esperar que as eleições de hoje sejam marcadas por "uma grande participação popular", salientando que é o voto que decide o "rumo" para Portugal.

 

"Em relação a este dia, que seja marcado por uma grande participação popular neste ato eleitoral, porque está em causa para todas as portuguesas e todos os portugueses decidir o rumo que queremos que seja de esperança", disse Edgar Silva depois de exercer o seu direito de voto na escola secundária Francisco Franco, em frente á sede do PCP no Funchal.

 

Paulo de Morais

O candidato presidencial Paulo de Morais, que votou hoje pelas 10:00 na Escola Secundária Aurélia de Sousa, no Porto, deixou a mensagem de que "cada voto conta", afirmando que estava "de consciência perfeitamente tranquila" por ter concluído o processo.

 

"É importante que cada cidadão saiba que cada voto conta. Era essa a mensagem que eu gostava de deixar hoje: é que cada voto conta e os países são tão mais desenvolvidos quanto mais gente participa nas eleições", declarou o candidato Paulo de Morais, depois de ter exercido o seu direito de voto. O candidato espera que não haja uma "forte abstenção", referindo que isso seria um "mau sintoma para a democracia".

 

Vitorino de Silva

O candidato à presidência da República, Vitorino Silva, votou hoje na sua freguesia de Rans, em Penafiel, onde previu pouca abstenção, porque "as pessoas cada vez estão mais livres".

 

"Vai haver pouca abstenção, porque as pessoas estão cada vez estão mais livres e perceberam que, cada vez, são mais importantes para o futuro deste país", afirmou aos jornalistas, depois de ter exercido o seu direito de voto, pouco passava das 10:00. Questionado sobre a previsão que fizera sobre a abstenção, afirmou: "Na campanha vi muita gente dizer que ia votar desta vez. Senti que as pessoas perceberam que o voto é o seu maior património e que não vão descurar o património que têm".

 

Cândido Ferreira

O candidato presidencial Cândido Ferreira apelou hoje em Leiria aos portugueses para votarem "maciçamente", apesar do "desencanto" que existe em relação à democracia. Eram cerca das 10:00 quando Cândido Ferreira chegou ao pavilhão desportivo dos Pousos, freguesia do concelho de Leiria. Acompanhado da mulher, o candidato presidencial votou na secção 13.

 

Cândido Ferreira revelou que vai passar o dia com a família, "tranquilamente" e que vai assistir às primeiras projecções e resultados das eleições num restaurante em Leiria, acompanhado de uma "pequena recepção". "Convidei meia dúzia de amigos: serão 30, 40 ou 50 pessoas, porque não fizemos nenhuma espécie de mobilização", informou ainda Cândido Ferreira, médico de 66 anos. 

Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Pedro Elias Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar






pub

Marketing Automation certified by E-GOI