Arquitecta que levou Guimarães a Património Mundial da Humanidade vai liderar o IHRU

Alexandra Gesta, técnica da Câmara Municipal de Guimarães, foi a escolha do Governo para presidir ao Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana. Substitui Vítor Reis, que liderou a instituição nos últimos cinco anos.
Jornal de Negócios
pub
Filomena Lança 10 de novembro de 2017 às 12:43

A nova presidente do Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) vem da câmara Municipal de Guimarães, é arquitecta e trabalhava até agora no Gabinete do Centro Histórico da autarquia. Foi ela quem liderou o processo que, em 2001, culminaria com a elevação da cidade a Património Mundial da Humanidade.

A nomeação de Alexandra Gesta foi aprovada esta quinta-feira, 9 de Novembro, em Conselho de Ministros. A arquitecta tem mandato para os próximos cinco anos e substituirá Vítor Reis, também arquitecto, que chegou ao instituto em 2012, pela mão do então Governo de Pedro Passos Coelho. Como vogais ficam Luiz Henrique Pinheiro dos Santos e Luís Maria Roxo Gonçalves, este último repetente, uma vez que já estava como como vogal desde 2012.

A ligação de Alexandra Gesta à câmara de Guimarães vem desde pelo menos 1985, como responsável pelo projecto de recuperação do Centro Histórico da cidade. A zona, que à altura estava bastante decadente e era habitada sobretudo por pessoas com dificuldades financeiras, acabaria por se tornar, na sequência da sua acção, num dos símbolos da cidade. A arquitecta criou o gabinete e acompanhou e liderou todo o processo. Mais tarde acabaria por assumir também o cargo de vereadora do urbanismo, eleita pelo PS.

O processo de recuperação da cidade passou pela reabilitação de meia centena de edifícios antigos, alguns da época medieval, com recurso a mão-de-obra local e técnicas tradicionais, foi feito com uma percentagem substancial de investimento privado. Alexandra Gesta coordenou os diferentes níveis de intervenção, incluindo junto da população. Mais recentemente tomou também a seu cargo o alargamento da zona recuperada ao antigo bairro industrial de Couros, onde no século XX se instalou a indústria de curtumes.

É esta experiência ao nível do urbanismo e habitação que Alexandra Gesta deverá agora trazer para o IHRU, trabalhando lado a lado com a também recentemente nomeada secretária de Estado da habitação, Ana Pinho, também arquitecta e com a qual se cruzou várias vezes em trabalho. Chega numa altura em que o Governo tem em marcha a "Nova Geração de Políticas de habitação", um pacote de novas medidas que incidirão ao nível da habitação social, arrendamento e reabilitação urbana, entre outras áreas.

pub

O IHRU, recorde-se, detém cerca de 14 mil fogos para habitação social em bairros espalhados por várias zonas do país e em que a renda média praticada ronda os 75 euros. Cabe-lhe apoiar o Governo nas suas políticas de habitação e reabilitação urbana. 

pub