Rendas Governo cria apoio para habitação de famílias monoparentais e idosos

Governo cria apoio para habitação de famílias monoparentais e idosos

São 8 mil as "habitações de interesse social" que o Governo pretende constituir com a nova lei para quem não consegue encontrar casas no mercado de arrendamento.
Governo cria apoio para habitação de famílias monoparentais e idosos
Miguel Baltazar
Negócios 17 de abril de 2018 às 10:22

O Governo pretende aprovar um apoio para o acesso a habitações por parte de famílias monoparentais, em que os pais vivem sozinhos com os filhos, ou idosos, que não consigam suportar o encargo em condições de mercado, segundo o jornal Público.

 

A publicação conta que a intenção do Governo é avançar com um plano para candidaturas a empréstimos bonificados para compra, construção ou reabilitação, destinando-se a famílias que vivam em condições indignas e sem condições para encontrar casa no mercado, e que não tenham beneficiado de renovações dos contratos de arrendamento.

 

Os cidadãos candidatam-se em processos que serão intermediados pelas autarquias, de acordo com o anteprojecto a que o jornal teve acesso e que deverá ser levado a Conselho de Ministros.

São 8 mil as "habitações de interesse social" que o Governo pretende constituir neste programa. 

 

Em cima da mesa está a lei do 1º Direito, "que visa proporcionar o acesso a uma habitação adequada a pessoas que vivem em situações habitacionais indignas e que não dispõem de capacidade financeira para encontrar uma solução habitacional no mercado", segundo o Plano Nacional de Reformas, actualizado este ano.

 

Como relembra o jornal, o levantamento nacional das necessidades de realojamento habitacional detectou quase 26 mil carências habitacionais, que necessitam de um orçamento de 1.700 milhões de euros.

O Governo, que conta com uma secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, está também a preparar, como avança o Negócios, um seguro de renda que proteja os senhorios em caso de incumprimento. O Executivo pediu contributos às seguradoras. 




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo Há 1 semana

Os governantes das esquerdas lusitanas condenam gerações inteiras de famílias monoparentais e idosos à desgraça com as políticas anacrónicas e irresponsáveis que implementam, e depois anunciam um muito caridoso e oportuno sistema de esmolinhas para aqueles. Vergonha na cara é o que precisam estes canhotos, também chamada de seriedade, honra e dignidade.

comentários mais recentes
Anónimo Há 6 dias

Isto nem sequer é esmola, é empréstimo bonificado, que mesmo que fosse a uma taxa 0% estas pessoas carenciadas nunca conseguiriam pagar uma casa em Lisboa... Portanto esta medida é ridícula e inútil, apenas para pseudo mostrar movimento, que estão a fazer algo!

Anónimo Há 1 semana

QUEM TEM EMPRÉSTIMOS AOS BANCOS PARA PAGAR UMA CASA TAMBÉM DEVIA TER OS MESMOS DIREITOS.

Anónimo Há 1 semana

A incompetência de um governo nesta matéria que já vem do tempo do Cabrita, que foi um fracasso total e para cumulo o Costa repetiu o mesmo prato de sopa azeda...que já devia ter sido enfiada na sanita.

General Ciresp Há 1 semana

Para mim estamos perante uma gerigonca em MeONOPAUSA calores para eles,arrepios para os outros.:Ja nao acerta com nada,ou estao ja em campanha.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub