Rendas Rendas em Portugal subiram 3,2% em 2019. Lisboa com maior variação

Rendas em Portugal subiram 3,2% em 2019. Lisboa com maior variação

As rendas em Portugal subiram 3,2% no ano passado, acelerando face ao crescimento de 1,9% registado em 2018.
Rendas em Portugal subiram 3,2% em 2019. Lisboa com maior variação
Miguel Baltazar
Tiago Varzim 13 de janeiro de 2020 às 12:26

O crescimento do custo de arrendamento em Portugal acelerou em 2019. Os preços aumentaram 3,2% no ano passado, o que compara com uma subida de 1,9% registada em 2018. Em 2017, as rendas tinham aumentado 1%.

Os dados foram divulgados esta segunda-feira, 13 de janeiro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) no destaque em que confirmou que a taxa de inflação fixou-se nos 0,3% em 2019, desacelerando face aos 1% de 2018. A evolução das rendas foi uma das componentes que deu um contributo positivo para a inflação dado que não só continuaram a aumentar como aceleraram.

Todas as regiões em Portugal registaram uma subida das rendas de habitação, mas Lisboa é pelo segundo ano consecutivo a zona que regista a maior variação percentual. As rendas na capital subiram 4% em 2019. 

Ao contrário dos dados publicados nas estatísticas de rendas da habitação ao nível local, também divulgadas pelo INE, estes números referem-se a todas as habitações arrendadas e não apenas aos novos contratos de arrendamento. 

"É importante referir que o índice de rendas de habitação incluído no IPC [inflação] é relativo a todo o stock de habitação arrendado, pelo que não pode ser comparado com as Estatísticas de rendas da habitação ao nível local divulgadas pelo INE, em que o valor mediano das rendas por m2 é relativo apenas a novos contratos de arrendamento", alerta o gabinete de estatísticas no destaque de hoje. 

Os dados do primeiro semestre de 2019 relativos aos novos contratos mostravam uma subida de 9,2%. O valor mediano das rendas de alojamentos familiares fixou-se em 5 euros por metro quadrado em Portugal.


Também nesta estatística Lisboa era o concelho com os preços mais elevados, com uma renda mediana de 11,71 euros por metro quadrado, o que representava um aumento de 12,7% face ao primeiro semestre de 2018.

Os números dos novos contratos relativos ao segundo semestre de 2019 serão divulgados no final de março.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI