Ordem dos Médicos contra “lei da rolha” no hospital Santa Maria

Bastonário pediu esclarecimentos ao hospital, que respondeu. Irá agora analisá-los.
Jornal de Negócios
pub
jng@negocios.pt 01 de agosto de 2018 às 10:49

O Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN) recordou os funcionários, via e-mail, de que estes só podem falar com jornalistas caso sejam autorizados. Para a Ordem dos Médicos, esta norma que se aplica aos profissionais dos hospitais de Santa Maria e Pulido Valente restringe a "liberdade de expressão e informação".

Carlos Martins, o presidente do conselho de administração do CHLN, afirmou ao jornal Público que a norma tem como objectivo que "quando os dirigentes falam haja o mínimo de articulação com o gabinete de comunicação ou com o conselho de administração".

Em Julho, Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, enviou um pedido de esclarecimentos à administração do centro hospitalar e já recebeu a resposta. Será agora analisada. "Este dever de denúncia que compete a todos nós, médicos e outros profissionais de saúde, quando os direitos dos doentes estão a ser colocados em causa, não me parece que deva ter uma limitação por parte de quem tem a direcção das unidades de saúde", considerou Guimarães. 

pub