Saúde CM: Receitas electrónicas atrasam consultas

CM: Receitas electrónicas atrasam consultas

Os médicos de família são obrigados a explicar porque é que escolheram determinados medicamentos e isso acaba por atrasar as consultas. A Ordem dos Médicos critica estes procedimentos, segundo o Correio da Manhã desta terça-feira, 26 de Abril.
CM: Receitas electrónicas atrasam consultas
Bruno Simão/Negócios
Negócios 26 de abril de 2016 às 10:16

As receitas electrónicas estão a atrasar as consultas, porque os médicos estão obrigados a explicar as razões de terem optado por determinados medicamentos, segundo adianta o Correio da Manhã.

O programa informático da prescrição electrónica acaba por retirar minutos ao tempo que os médicos passam com os doentes, visto que os profissionais acabam por demorar muito tempo a preencher tudo aquilo que é pedido nos formulários.


"Não se entende porque é que o Infarmed negociou o preço do medicamento, atribuiu uma comparticipação e depois obriga o médico a justificar a prescrição. Parece que quer inviabilizar essa prescrição ao obrigar ao preenchimento de janelas automáticas que aparecem na aplicação", lamentou o bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva.


Em causa estão remédios para o colesterol, dor aguda, epilepsia e perturbações de ansiedade, assim como alguns psicotrópicos.


O bastonário acredita que estas obrigações se irão reflectir no número de utentes vistos pelos médicos e aponta o dedo a quem concebeu os sistemas informáticos de prescrições.


Este problema, aliás, não é novo, com os médicos a queixarem-se do sistema já em 2014




pub

Marketing Automation certified by E-GOI