Saúde Enfermeiros: Sindepor mantém paralisação e o seu presidente anuncia greve de fome

Enfermeiros: Sindepor mantém paralisação e o seu presidente anuncia greve de fome

O Ministério Saúde anunciou que serão marcadas faltas injustificadas, a partir de quarta-feira, a todos os enfermeiros que adiram à greve.
Enfermeiros: Sindepor mantém paralisação e o seu presidente anuncia greve de fome
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 19 de fevereiro de 2019 às 20:41

O Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor) vai manter a greve em blocos operatórios e o seu presidente anunciou esta terça-feira que vai entrar em greve de fome até o Governo voltar à mesa das negociações.

 

Carlos Ramalho disse em Évora que vai iniciar a greve de fome na quarta-feira às 12:00 junto ao Palácio de Belém, residência oficial do Presidente da República.

 

O dirigente sindical falava em conferência de imprensa na sede de Évora da UGT, depois de o Ministério Saúde ter anunciado que iriam ser marcadas faltas injustificadas, a partir de quarta-feira, a todos os enfermeiros que adiram à greve.

 

Esta posição do ministério surge na sequência de um parecer da Procuradoria-Geral da República que considera ilícita a greve dos enfermeiros nos blocos operatórios.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI