Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Eurodeputados do PSD fazem lóbi nortenho pela Agência Europeia do Medicamento

Paulo Rangel e José Manuel Fernandes lançaram uma petição na Internet para contestar o "provinciano centralismo" do Governo socialista, sugerindo Porto e Braga como alternativas a Lisboa.

Paulo Rangel, vice-presidente do Partido Popular Europeu, é uma das vozes críticas que querem "reverter" a candidatura portuguesa. Ricardo Castelo/Negócios
António Larguesa alarguesa@negocios.pt 13 de Junho de 2017 às 19:23
  • Assine já 1€/1 mês
  • 15
  • ...

Os eurodeputados do PSD, Paulo Rangel e José Manuel Fernandes, lançarem esta terça-feira, 13 de Junho, uma campanha para travar a decisão do Governo português, liderado pelo socialista António Costa, de candidatar Lisboa para acolher a Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês).

 

Defensores da inclusão das cidades do Porto e de Braga na corrida à sede deste organismo, que sairá de Londres por causa do Brexit, os dois membros do Parlamento Europeu estão a promover a petição online "Não ao Centralismo!" e vão desenvolver "diversos contactos institucionais" para contrariar um Executivo que acusam de "concentrar tudo em Lisboa" e de "ignorar a coesão territorial".

 

O facto da capital portuguesa já ser a sede da Agência Europeia de Segurança Marítima e do Observatório da Droga e da Toxicodependência volta a entrar na lista dos fundamentos, lembrando os opositores desta candidatura que um dos principais critérios para a escolha da nova localização da EMA é precisamente o da distribuição geográfica – e "nenhuma cidade europeia tem mais de duas agências".

 

Forte presença industrial, científica e universitária na área da saúde; património edificado "mais do que suficiente e apropriado" à instalação de serviços desta agência; infra-estruturas de educação; e até a proximidade com a rede industrial de Aveiro e universitária de Coimbra, "outro pólo crucial na área da saúde". Estes são alguns dos argumentos apresentados pelos social-democratas que subscrevem a petição e que, desde logo, apontam Porto e Braga como alternativas.

 

Em meados de Maio, o presidente da Câmara do Porto escreveu ao primeiro-ministro para "mostrar o interesse" da cidade em acolher a EMA. Na resposta, divulgada esta terça-feira pela Lusa, António Costa citou como razões para a preferência lisboeta "a conveniência da proximidade do Infarmed, agência nacional do medicamento" e a possibilidade de, com três agências, "alcançar o número mínimo de funcionários" para a instalação de uma Escola Europeia na cidade.

 

"Indignado, revoltado e pasmado" é como Paulo Rangel, num artigo de opinião publicado esta terça-feira no Público, confessa estar perante esta "decisão do mais puro e provinciano centralismo" envolvendo esta candidatura. "Alguém acredita que a escolha de Lisboa, feita à socapa, sem debate e sem transparência, era e é mesmo inevitável? Onde está o apoio à descentralização se, à primeira oportunidade, se corre a pôr tudo em Lisboa?", questiona o vice-presidente do Partido Popular Europeu.

Ver comentários
Saber mais Saúde União Europeia Agência Europeia do Medicamento Paulo Rangel José Manuel Fernandes petição lóbi Porto Braga António Costa Lisboa Brexit
Mais lidas
Outras Notícias