Saúde Governo quer voltar a aumentar número de utentes por médico de família

Governo quer voltar a aumentar número de utentes por médico de família

Ministro da Saúde admite intenção de atribuir aos médicos de família mais de 1.900 utentes. Esta seria uma das medidas para conseguir cumprir com o desiderato de dar médico a todos os portugueses até ao final da legislatura.
Governo quer voltar a aumentar número de utentes por médico de família
Miguel Baltazar/Negócios
Marlene Carriço 26 de março de 2014 às 16:23

O Ministério da Saúde quer negociar com os sindicatos o aumento da lista de utentes dos médicos de família por “um período transitório, de três, quatro anos”. Esta é apenas uma das medidas com vista a conseguir dar médico a todos os portugueses, que se tornou um "desafio maior" por causa do aumento das aposentações.

 

“Queremos ajustar as listas. Até tudo voltar à normalidade [sem problema de falta de médicos] vamos ter aqui um período de alguns anos portanto estaríamos disponíveis para negociar durante um período delimitado no tempo um número adicional de utentes” com um respectivo “diferencial que tinha de ser negociado”, em termos de pagamento a esses médicos, disse o ministro Paulo Macedo, esta quarta-feira, à saída da audição na Comissão de Saúde, que durou quatro horas.

 

O Governo quer ainda ajustar as listas de forma a dar cumprimento àquilo que ficou estabelecido no último acordo com os médicos, em 2012. Ficou então definido que as listas teriam 1.900 utentes por médico. Acontece que, segundo o ministro, “neste momento a média de utentes por médico é muito abaixo dos 1.900” até porque há localidades do País com muito poucos habitantes.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI