Saúde Processos disciplinares contra médicos duplicaram em 2018

Processos disciplinares contra médicos duplicaram em 2018

A Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) instaurou 17 processos a médicos, sobretudo por falhas na prestação de cuidados de saúde e violação de deveres profissionais.
Processos disciplinares contra médicos duplicaram em 2018
Ricardo Castelo/Negócios
Negócios 15 de abril de 2019 às 09:28

Falhas na prestação de cuidados de saúde e violação de deveres profissionais, nomeadamente a "acumulação de funções, incompatibilidades e impedimentos e outros comportamentos eticamente censuráveis". Assim foram catalogados os principais motivos para a abertura de processos disciplinares por parte da Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) em 2018.

 

No ano passado, informa o Público esta segunda-feira, 15 de abril, este organismo abriu um total de 19 processos disciplinares a profissionais de saúde, sendo 17 médicos, um enfermeiro e um técnico superior. Face ao ano anterior, o relatório regista uma quase duplicação dos casos – e metade dos que já foram avaliados resultou em sanções.

 

No relatório, o IGAS sublinha a aplicação de 32 processos de contraordenação nos últimos dois anos, em que quase metade teve como motivo o incumprimento da lei na área das chamadas terapêuticas não convencionais. E denunciou também que "persistem ainda bastantes exemplos de atividade" exercida sem a devida cédula profissional.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI