Segurança Social Governo quer aumentar idade pré-reforma de militares e polícias para 58 anos

Governo quer aumentar idade pré-reforma de militares e polícias para 58 anos

O Governo quer aumentar de 55 para 58 anos a idade da pré-reforma dos militares e dos membros das forças de segurança, anunciou hoje o primeiro-ministro, Passos Coelho.
Negócios com Lusa 03 de maio de 2013 às 22:03

"Uma das medidas que iremos propor consiste na alteração da idade legal mínima de acesso à situação de reserva, pré-aposentação e disponibilidade, que precede a reforma nas Forças Armadas, na Guarda Nacional Republicana e na Polícia de Segurança Pública para os 58 anos de idade", afirmou hoje Pedro Passos Coelho numa declaração ao país.

 

O primeiro-ministro disse ainda que esta é umas da "várias medidas com âmbito sectorial" que o Governo quer tomar nos vários domínios da governação, que "se inserem no horizonte mais amplo da reforma do Estado".

 

A Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) considerou hoje "irresponsável" esta proposta do Governo.

 

Numa breve reacção à agência Lusa, o presidente da APG/GNR, César Nogueira, considerou "irresponsável" a medida proposta, argumentando que os militares da GNR "trabalham muito mais horas", comparativamente a outros profissionais e, por isso, têm "um desgaste maior no final da carreira".

 

César Nogueira invocou que, na prática, os profissionais da GNR "não têm horário de trabalho" e chegam a trabalhar "90 horas por semana".




Marketing Automation certified by E-GOI