Agricultura e Pescas Rendimento dos agricultores portugueses subiu em 2015, em contraciclo com a Europa

Rendimento dos agricultores portugueses subiu em 2015, em contraciclo com a Europa

Na União Europeia, os rendimentos agrícolas reais por trabalhador caíram 4,3% em 2015, face ao ano anterior, e 5,7% desde 2010. Já o valor da produção agrícola diminuiu 2,5% este ano.
Rendimento dos agricultores portugueses subiu em 2015, em contraciclo com a Europa
Negócios 15 de dezembro de 2015 às 11:01

Os rendimentos reais dos agricultores portugueses aumentaram 3,4% em 2015, em comparação com o ano passado, revela o Eurostat esta terça-feira, 15 de Dezembro. Desde 2010, o crescimento foi de 5,5%.

 

Portugal está, assim, em contraciclo, com a média dos países da União Europeia, onde o rendimento agrícola real por trabalhador caiu nos últimos anos. Segundo os dados do Eurostat, este indicador desceu 4,3% no último ano, e 5,7% desde 2010.

 

Entre os 28 membros da União Europeia, os rendimentos reais dos agricultores aumentaram em 13 e diminuíram em 15, em comparação com o ano de 2014.

 

Face ao ano passado, os maiores aumentos registaram-se na Croácia (21,5%), Letónia (14,3%), Grécia (12,1%), França (8,8%) e Itália (8,7%), e as maiores descidas na Alemanha (-37,6%), Polónia (-23,8%), Luxemburgo (-20%), Dinamarca (-19,7%), Reino Unido (-19,3%) e Roménia (-19,2%).

 

O Eurostat estima que, em comparação com o ano anterior, o valor da produção agrícola da UE, tenha diminuído 2,5% em 2015, em termos nominais, devido a uma queda acentuada no valor da produção animal (-5,9%), e a uma ligeira diminuição no valor comercial das colheitas (-0,3%).

 

A queda do valor da produção animal deve-se, principalmente, ao declínio do valor do leite (-14,9%) e suínos (-8,9%), apenas parcialmente compensado por aumentos nos bovinos (4,3%), ovinos e caprinos (3,2%), ovos (2,1%) e aves (1,1%).

 

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI