Agricultura e Pescas Um caso de BSE foi diagnosticado em França

Um caso de BSE foi diagnosticado em França

Um bovino de cinco anos tinha BSE. A confirmação foi dada esta quinta-feira, 24 de Março, pelo Ministério da Agricultura francês que tem agora de informar Bruxelas.
Um caso de BSE foi diagnosticado em França
Reuters
Alexandra Machado 24 de março de 2016 às 12:52

França confirmou um novo caso de BSE (doença das vacas loucas). O ministro da agricultura francês confirmou esta quinta-feira, 24 de Março, o que se suspeitava e que já tinha sido revelado a 17.

A BSE (encefalopatia espongiforme bovina) foi confirmada numa vaca de cinco anos de raça salers em Ardenas.



"A detecção deste caso isolado atesta a eficácia do nosso sistema de vigilância em França ao longo de toda a cadeia alimentar", optou por afirmar o Ministério da Agricultura, tutelado por Stéphane Le Foll, em comunicado.


Citado no comunicado o ministro garante, no entanto, não haver qualquer consequência para os consumidores. "Stéphane Le Foll lembra que o consumo de carne bovina não apresenta qualquer risco para o ser humano", conclui o comunicado.


Ainda que seja um caso "isolado" tem de ser reportado à Comissão Europeia e à Organização Mundial da Saúde Animal. É, segundo os jornais franceses, o terceiro caso de BSE detectado na Europa depois de 2015 deste tipo de BSE. Em França, o último caso detectado deste tipo tinha acontecido em 2011. No entanto, dados da OIE (Organização para a Saúde Animal) fala em mais casos na Europa, muitos dos quais importados.

Segundo a lista de casos, Portugal surge com um incidência em 2014, Espanha com duas e França com três. Desde os anos 90, quando a doença foi diagnosticada pela primeira vez Irlanda, reino Unido, França, Espanha, Portugal e Suíça são os mais afectados.

A Comissão Europeia deverá, depois de reportado o caso, trabalhar com a Autoridade europeia de Saúde Animal, em associação com a agência nacional, para tentar compreender a origem e a causa do caso.

O ministro de França admite que este caso vai ter impacto nas exportações francesas de carne bovina, ainda que, segundo a Reuters, haja a necessidade, ainda, de se fazer mais testes. Para já a consequência é que o estatuto de França no que respeita à doença vai ser alterado, obrigando o país a incinerar partes do animal. 

Até ao momento não foi possível obter um comentário do Ministério da Agricultura português.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI