Vinho "Benefício" do vinho do Porto sobe para 111 mil pipas em 2015

"Benefício" do vinho do Porto sobe para 111 mil pipas em 2015

A produção de vinho do Porto vai aumentar pelo quarto ano consecutivo. Os representantes dos produtores e dos comerciantes da região demarcada do Douro acertaram um crescimento de seis mil pipas na vindima de 2015.
"Benefício" do vinho do Porto sobe para 111 mil pipas em 2015
Paulo Duarte/Negócios
António Larguesa 28 de julho de 2015 às 15:30

O Conselho Interprofissional do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP) definiu esta terça-feira, 28 de Julho, o aumento da produção do mais conhecido vinho português na vindima de 2015, com a fixação do designado "benefício" em 111 mil pipas (de 550 litros), o que representa uma subida quando comparado com as 105 mil pipas que tinham sido autorizadas no ano passado.

 

Definido anualmente num órgão consultivo que junta os produtores e os comerciais da região, o "benefício" é, na prática, a quantidade de mosto generoso que, somando a aguardente que é preciso adicionar, fixa a quantidade de vinho do Porto que pode ser produzida na vindima seguinte. Esta é uma decisão aguardada com expectativa por milhares de lavradores, para quem a sobrevivência assenta na venda de uvas para este vinho.

 

Depois de permanecer inalterado nas 110 mil pipas em 2009 e 2010, em 2011 esse valor sofreu uma quebra acentuada, para as 85 mil pipas. Uma decisão que gerou enorme polémica e revoltou os produtores da mais antiga região demarcada do mundo. No ano seguinte, o "benefício" aumentou para 96.500 pipas, em 2013 voltou a subir para as 100 mil pipas e no ano passado houve um novo crescimento para 105 mil pipas. Este é, assim, o quarto aumento consecutivo.

 

O presidente do IVDP, Manuel Cabral, destacou que a reunião desta terça-feira do conselho interprofissional "marca um novo tempo de concertação e diálogo entre a produção e o comércio, com o objectivo de posicionar ainda melhor as Denominações de Origem Porto e Douro e melhorar os rendimentos de todos os actores da região e do sector".

 

A definição do "benefício" é um processo que exige anualmente uma negociação entre os representantes dos produtores e dos comerciantes de vinho do Porto, tendo por base um conjunto de critérios técnicos, os níveis de vendas de Vinho do Porto nos últimos meses e as projecções para o resto do ano, o nível de stocks existentes e as intenções das compras dos comerciantes até Dezembro.

 

As vendas de vinho do Porto ascenderam a 363 milhões de euros em 2014, o que representou um recuo ligeiro (-0,5%) face ao período homólogo, sobretudo devido à pressão dos maiores mercados externos: França e Reino Unido. Apesar de estar a baixar o seu peso relativo no Douro – menos dez pontos do que há oito anos –, o Porto ainda vale 73,6% do negócio vitivinícola da região, que totalizou 493,4 milhões de euros no ano passado.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI