Automóvel A Citroën inventou um veículo elétrico por menos de 7.000 euros

A Citroën inventou um veículo elétrico por menos de 7.000 euros

A Citroën apresentou esta quinta-feira em Paris, em estreia mundial, o novo Ami, um veículo elétrico especialmente vocacionado para as zonas urbanas, que deverá custar no mercado nacional menos de 7.000 euros.
Adriano Oliveira 27 de fevereiro de 2020 às 17:26

Baseado no protótipo Ami One, apresentado o ano passado no Salão de Genebra, o novo modelo da Citroën é uma espécie de cubo sobre rodas de dimensões ultracompactas (2,41 metros de comprimento, 1,38 m de largura e 1,52m de altura), que lhe confere uma aparência robusta, ágil e manobrabilidade recorde.

Design sóbrio, com peças simétricas – portas idênticas em ambos os lados com mecanismos de funcionamento inversos –, adota uma dianteira expressiva, com duas secções de faróis, a superior, junto ao para-brisas, a lembrar a primeira geração do antigo Fiat Multipla, e elementos que se repetem na dianteira e na traseira.


No habitáculo, o espaço a bordo e a funcionalidade são valorizados. O banco do condutor (deslizante para regulação) e o banco do passageiro (fixo) estão colocados de forma assimétrica, oferecendo desta forma mais espaço e mobilidade aos ocupantes. Os espaços de arrumação encontram-se distribuídos de forma engenhosa sendo explorados todos os cantos. Do lado do passageiro, o Ami propõe uma zona de arrumação que pode acomodar uma mala de cabine (avião) ou saco de mão. Com um banco do condutor rebatível, é possível aceder aceder a uma plataforma na parte traseira para colocar as as bagagens.


Para mover este Ami sem emissões de CO2, a Citroën utiliza um sistema de propulsão elétrica. A bateria de 5,5 kWh alimenta um pequeno motor de 8 cv. Uma potência mais que suficiente para propulsionar os 470 quilos do cubo a uma velocidade máxima de 45 km/h. A princípio pode parecer uma velocidade ridícula, mas se analisarmos as estatísticas, a velocidade média nas zonas urbanas é inferior a 20 km/h.


Para o carregamento, o Ami não precisa de se ligar a uma tomada de carregamento rápido. Uma tomada doméstica de 220 volts é suficiente. Serão necessárias três horas para carregar totalmente a bateria por um preço que não ultrapassará os 1,5 a 2 euros.


A autonomia WLTP é de 70 km (100 km NEDC), aqui também largamente superior as necessidades urbanas diárias da maior parte de nós.


Modelo silencioso, proporciona conforto não só para os passageiros no seu interior, como para todos no ambiente exterior através de uma assinatura sonora própria. Desde a regulamentação europeia do início de 2019, todos os veículos elétricos devem emitir um som artificial para alertar os peões que estejam nas imediações.


Homologado como quadriciclo, o Ami oferece ainda liberdade de utilização. Destinando-se a um tipo de cliente urbano que pode ou não ter carta de condução, é acessível a todos desde os 16 anos de idade.


Proposto num único nível de equipamento e dois packs de personalização (My Ami POP e My Ami VIBE), o Ami vai custar cerca de 6.900 euros, ou até menos, se vier a beneficiar de apoio do Governo aos veículos elétricos.



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI