Automóvel Autoeuropa volta a contratar pela primeira vez desde 2011

Autoeuropa volta a contratar pela primeira vez desde 2011

A Autoeuropa, maior fábrica de automóveis portuguesa, prevê aumentar a produção diária de automóveis e para isso vai recorrer à contratação de 30 trabalhadores temporários, avança hoje o Diário Económico.
Autoeuropa volta a contratar pela primeira vez desde 2011
Bruno Simão/Negócios
Negócios 24 de março de 2014 às 08:55

Para responder ao aumento de produção previsto pelo menos até Junho e que o Negócios noticiou em Janeiro, a Autoeuropa vai fazer crescer o seu quadro de trabalhadores temporários em 30 trabalhadores. Segundo o Ecónomico e citando fontes próximas da empresa, a “Autovision [empresa de prestação de serviços de trabalho temporário do grupo Volkswagen] já está a fazer a selecção de trabalhadores, que se irão manter à partida até Julho”.

 

A última vez que a fábrica de Palmela contratou foi em 2011, altura em que recebeu uma encomenda que lhe permitiu chegar a uma produção de 133.100 unidades. Nessa altura foram admitidos 300 trabalhadores temporários. A unidade da Volkswagen conta com pouco mais de 3.600 trabalhadores.

 

Segundo o mesmo jornal, estas contratações surgem em alternativa ao trabalho extraordinário previsto para os sábados de Março e Abril. “É verdade que a Comissão de Trabalhadores propõe a contratação de trabalhadores em vez do trabalho extraordinário aos sábados. O número de trabalhadores está a ser calculado, mas para um aumento de cinco carros por dia não será nada de extraordinário”, referiu ao Diário Económico, o coordenador da Comissão de Trabalhadores (CT), António Chora.

 

Actualmente a Autoeuropa paga 50% em horas extraordinárias ao sábado, implementando assim as regras do acordo tripartido de Concertação Social. A CT defendeu que devido aos valores pagos ao sábado “devem ser encontradas alternativas”. Os trabalhadores defendem que as horas

É verdade que a Comissão de Trabalhadores propõe a contratação de trabalhadores em vez do trabalho extraordinário aos Sábados
 
António Chora, coordenador da Comisssão de Trabalhadores da Autoeuropa

extraordinárias devem ser reduzidas ao mínimo indespensável, utilizando sempre que possível a contratação temporária.    

 

Tal como o Negócios noticiou no início do ano, apesar do aumento de produção em 15% no início deste ano, as primeiras projecções para a produção do total do ano na Autoeuropa apontam para um crescimento de até 5%. A influenciar a discrepância dos valores estará o comportamento das encomendas na segunda metade de 2014 e ainda o número de "downdays" (dias de paragem) que a Autoeuropa somar ao longo do ano.

 

"As previsões iniciais são para que registemos um pequeno aumento de produção em relação ao ano passado, que pode ir até aos 5%", disse uma fonte conhecedora dos programas de produção da Autoeuropa. "Os números finais deverão andar na casa dos 94 mil carros", acrescentou a mesma fonte.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI