Automóvel Obama diz que resgate à indústria automóvel "valeu a pena"

Obama diz que resgate à indústria automóvel "valeu a pena"

Para o Presidente norte-americano Barack Obama o resgate às fabricantes automóveis GM e Chrysler "valeu a pena". E anunciou o "regresso" da indústria automóvel americana.
Obama diz que resgate à indústria automóvel "valeu a pena"
Bloomberg
André Vinagre 21 de janeiro de 2016 às 12:39

Em Detroit, a principal cidade para a indústria automóvel nos Estados Unidos da América, o presidente Barack Obama disse que a crise no sector terminou e que não se arrepende do resgate à GM e à Chrysler. Contudo, a indústria não está como Obama previu em 2009: as fabricantes automóveis continuam a apostar nos SUV (veículos utilitários desportivos).

 

Depois da crise no sector automóvel nos Estados Unidos da América que fez com que a administração de Obama procedesse ao resgate da GM e da Chrysler, em 2009, com uma injecção de 80 milhões de dólares (73,4 milhões de euros), o Presidente norte-americano diz agora não estar arrependido.

 

"Hoje, faria exactamente a mesma coisa. As fábricas estão a carburar, o negócio está a aumentar e a indústria automóvel americana está de volta", garantiu Barack Obama num discurso em Detroit.

 

Ainda assim, a indústria automóvel no país não se encontra como Barack Obama previu em 2009, explica a agência Reuters. As fabricantes automóveis continuam a produzir carros SUV, em vez de apostarem em modelos mais económicos.

 

Segundo a Reuters, a venda de SUV no país aumentou 16% em 2015, enquanto as vendas dos outros carros caíram 2%. Embora os novos SUV sejam mais económicos, continuam a consumir mais combustível que a generalidade dos automóveis.

 

Nos Estados Unidos, cerca de 59% dos carros vendidos no ano de 2015 foram SUV. Mais do que em 2014, altura em que 54% dos carros vendidos em território norte-americano foram SUV.

 

A Reuters aponta a queda nos preços dos combustíveis como o principal motivo para crescente procura de veículos utilitários desportivos em detrimento dos carros mais pequenos, o que esbarra com o objectivo da administração norte-americana aquando do resgate no sector.

 

A linha de produção da Ford no Michigan que Obama visitou em Janeiro de 2015 vai mesmo terminar a produção de carros mais pequenos em 2018 e vai iniciar a produção de veículos SUV, anunciou a empresa em Julho.

A administração de Obama aposta também no desenvolvimento dos carros inteligentesNo último discurso do Estado da União de Obama, o Presidente dos Estados Unidos da América referiu-se à necessidade de desenvolver "um sistema de transportes do século XXI".

Na semana passada, Barack Obama anunciou uma injecção de 4 mil milhões de dólares (3,66 mil milhões de euros) na indústria para acelerar os testes com carros autónomos.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI