Automóvel PSA e Fiat Chrysler já aprovaram fusão e Carlos Tavares será o CEO

PSA e Fiat Chrysler já aprovaram fusão e Carlos Tavares será o CEO

O grupo PSA e a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) chegaram a acordo esta quarta-feira para uma fusão, avança a agência Dow Jones. A Bloomberg dá conta que o português Carlos Tavares será o CEO.
Pedro Curvelo 30 de outubro de 2019 às 19:19
O grupo PSA e a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) chegaram a acordo esta quarta-feira para uma fusão, avança a agência Dow Jones. A Bloomberg refere que o conselho de administração do fabricante francês, que detém as marcas Peugeot, Citroën e Opel, já terá aprovado a operação.

A ediçlão online do jornal francês Les Echos indica que também a administração da Fiat Chrysler reuniu e aprovou o negócio, que deverá ser oficialmente anunciado esta quinta-feira.

A operação, que tem sido referida como sendo uma fusão entre iguais por troca de ações, dará origem ao quarto maior grupo automóvel mundial, com um valor de mercado em redor dos 45 mil milhões de euros.

Esta quarta-feira, a Bloomberg tinha avançado que o grupo liderado por Carlos Tavares admitia a possibilidade de vender ou fazer o "spin-off" da Faurecia, fabricante de componentes, na qual detém 46% do capital. A Faurecia tem uma forte presença em Portugal, contando com unidades em Bragança, Vouzela, Nelas, São João da Madeira e Palmela.

A agência noticiosa refere ainda que a FCA estará a analisar a possibilidade de um dividendo extraordinário de cinco mil milhões de euros, por forma a equilibrar a fusão entre iguais, uma vez que, tendo em conta o valor de mercado atual de ambos os grupos, os acionistas da PSA ficariam com 55% do novo grupo resultante da fusão.

Ainda de acordo com a Bloomberg, que cita fontes próximas do processo negocial, o grupo resultante da fusão teria um conselho de administração composto por 11 elementos: seis da PSA e cinco da FCA, com Carlos Tavares como CEO.

Segundo o Les Echos, a PSA vai distribuir pelos acionistas os títulos que detém na Faurecia, enquanto a FCA irá distribuir um dividendo extraordinário de 5,5 mil milhões de euros em dinheiro aos seus acionistas.

O Les Echos refere ainda que a sede social do novo grupo será localizada na Holanda. O jornal indica também que, segundo uma fonte, "os dois grupos encontraram um equilíbrio satisfatório nas negociações" e que quinta-feira irão anunciar o início de negociações exclusivas para a fusão, que deverá ser formalizada "dentro de algumas semanas". Os parceiros sociais irão reunir com a administração da PSA na manhã de quinta-feira.


Caso a fusão se concretize, o novo grupo será o quarto maior fabricante automóvel mundial, com vendas anuais de cerca de nove milhões de veículos, atrás da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, da Toyota e da Volkswagen.

Esta quarta-feira ambas as empresas confirmaram estar em negociações para uma fusão sem, contudo, adiantarem detalhes.

As ações da FCA fecharam a ganhar 9,53%, para os 12,87 euros, enquanto os títulos do grupo PSA valorizaram 4,53%, encerrando nos 26,05 euros. Com base nestes valores, a capitalização bolsista da Fiat Chrysler situa-se em 19,97 mil milhões de euros, abaixo dos 23,52 mil milhões da PSA.

(Notícia atualizada às 20:10 com mais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI