Automóvel PSA quer plano B na fusão com Fiat se Carlos Tavares sair

PSA quer plano B na fusão com Fiat se Carlos Tavares sair

Os acionistas do grupo PSA pretendem assegurar que o grupo francês será maioritário na administração da empresa que resultar da fusão com a Fiat mesmo que Carlos Tavares, atual CEO do grupo francês, saia.
PSA quer plano B na fusão com Fiat se Carlos Tavares sair
REUTERS
Pedro Curvelo 13 de dezembro de 2019 às 19:58

Os acionistas do grupo PSA (Peugeot, Citroën e Opel), incluindo o Estado francês, querem garantias de que a fabricante gaulesa terá seis dos 11 lugares no conselho de administação da empresa que resultar da fusão com a Fiat Chrysler - mesmo que Carlos Tavares, CEO da PSA, saia -, avança esta sexta-feira a Reuters.

A agência, que cita duas fontes próximas da PSA, refere que os acionistas do grupo francês pretendem ver esta questão clarificada antes da assinatura do memorando de entendimento, o que deverá ocorrer até ao final deste ano.

Na versão preliminar do acordo entre os dois grupos automóveis, a PSA e a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) terão cinco elementos cada no conselho de administração da nova empresa, sendo o 11.º lugar no "board" atribuído a Carlos Tavares, que assumirá a função de CEO naquele que será o quarto maior grupo automóvel mundial.

Agora, segundo as fontes ouvidas pela Reuters, a PSA pretende garantias de que esta maioria na administração da nova entidade se mantém na eventualidade de o gestor português sair.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI