Automóvel Regulador automóvel norte-americano autoriza carros inteligentes da Google

Regulador automóvel norte-americano autoriza carros inteligentes da Google

Os veículos autónomos da Google estão mais perto de poderem circular nas estradas norte-americanas. O regulador automóvel NHTSA diz que um "robot" pode constituir a definição legal de condutor.
Regulador automóvel norte-americano autoriza carros inteligentes da Google
André Vinagre 10 de fevereiro de 2016 às 12:27

A NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration) enviou uma carta à unidade de veículos autónomos da Alphabet, empresa-mãe da Google, afirmando que concorda com a posição da gigante tecnológica, quando diz que um "robot" pode constituir a definição legal de condutor, escreve o Financial Times esta quarta-feira, 10 de Fevereiro.

 

Na carta dirigida a Chris Urmson, líder do projecto dos veículos autónomos da Google, a NHTSA refere que concorda com a interpretação de que um carro "sem condutor" pode andar na estrada e ser conduzido autonomamente, estando de acordo com as regulamentações da Federal Motor Vehicle Safety Standards, que todos os carros têm de passar antes de irem para a estrada.

 

Na carta, o regulador automóvel explicou que "a NHTSA interpreta o ‘condutor’ no contexto do veículo a motor descrito pela Google como o sistema de condução autónomo e não como algum dos ocupantes do veículo". "Se nenhum ocupante humano do veículo puder conduzir o carro, é mais razoável que se identifique como ‘condutor’ o sistema que o conduzir. Neste sentido, o sistema de condução autónomo está a conduzir o veículo".

 

A Google diz que os carros vão tornar-se mais seguros quando os humanos deixarem de ter controlo para intervir na condução, dependendo apenas de sistemas de inteligência artificial que poderão tomar decisões importantes de acordo com dados de todos os sensores, mapas e câmaras que estes carros vão ter.

 

O Financial Times escreve que os veículos inteligentes tiveram um obstáculo no ano passado, quando o regulador do estado da Califórnia disse que os carros tinham de ter volante e pedais, uma regra que a Google discorda. A tecnológica quer dispensar os pedais, as manetes das luzes e dos piscas, os retrovisores e o travão de mão.

 

Os carros inteligentes são o grande projecto da indústria automóvel mas também da tecnológica para 2016. GM, Ford, Tesla, Google e Apple aceleram para pôr veículos sem condutor nas estradas, enquanto a administração norte-americana anunciou a injecção de 4 mil milhões de dólares (3,66 mil milhões de euros) na indústria para acelerar os testes com carros autónomos.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI