Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Vendas automóveis caem 54% em junho e 48,2% no primeiro semestre

As vendas automóveis em Portugal somaram o quarto mês consecutivo com quebras homólogas superiores a 50%. Tudo devido à pandemia da covid-19.

Automóveis a gasóleo pesaram 32,5% das vendas em fevereiro.
Toru Hanai/Reuters
Pedro Curvelo pedrocurvelo@negocios.pt 01 de Julho de 2020 às 17:04
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
As vendas automóveis em Portugal sofreram uma quebra de 54% em junho face a igual mês de 2019, cifrando-se em 13.678 veículos. Na primeira metade do ano as vendas totalizam 78.001 unidades, uma quebra de 48,2%, revela esta quarta-feira a Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

Este é o quarto mês consecutivo em que as vendas apresentam um decréscimo superior a 50% em termos homólogos, devido ao impacto da pandemia da covid-19. Ainda assim, a descida em junho foi significativamente inferior à queda de 71,6% registada em maio, o primeiro mês em que os concessionários reabriram após o seu encerramento em meados de março.

No primeiro mês do ano, as vendas em Portugal recuaram 8,5%. Em fevereiro registou-se uma ligeira recuperação do mercado, com uma subida de 5%. Mas a pandemia da covid-19, cujos primeiros casos foram registados a 2 de março em Portugal, teve um impacto devastador no mercado automóvel.

Em março, com os concessionários a encerrarem em meados do mês, as vendas caíram 57%. Em abril, com as vendas apenas através do canal online, a queda de 85% foi a maior de sempre. A reabertura dos concessionários, a 4 de maio, não impediu uma pesada quebra de 72% no quinto mês do ano.

Em junho, as vendas de ligeiros de passageiros, o segmento que mais pesa no mercado automóvel nacional, recuaram 56,2%, para 11.076 unidades. Já nos comerciais ligeiros a descida cifrou-se em 36%, para 2.347 veículos. Nos pesados, as 255 viaturas vendidas traduzem uma queda de 67%.

Já em termos da primeira metade do ano os ligeiros de passageiros acumulam uma perda de 49,6%, para 64.848 automóveis, enquanto os comerciais ligeiros recuam 38,9%, para 11.622 veículos. Os pesados sofreram uma descida de 50,3%, para 1.531 viaturas.

Automóveis elétricos com queda de 44% em junho
Um dos segmentos que se mostrava mais resiliente à crise do setor, o dos automóveis 100% elétricos, registou vendas de apenas 487 ligeiros de passageiros, uma quebra homóloga de 44,4% face aos 876 veículos vendidos em junho de 2019.

O número de automóveis ligeiros de passageiros elétricos matriculados na primeira metade deste ano cifra-se em 3.660, menos 245, ou 6,3%, do que os 3.905 vendidos no primeiro semestre do ano passado. Esta queda deve-se ao decréscimo de 36,7% nas vendas da Tesla, que entregou menos 419 unidades do que no período homólogo.

Parte da quebra no mercado foi atenuada pelas vendas de modelos elétricos de outros construtores, incluindo vários modelos novos, mas insuficiente para que o saldo seja positivo.

Na primeira metade do ano a Tesla ainda mantém a liderança, com 724 unidades. Seguem-se a Nissan, com 678, e a Renault, com 643. 

Mais atrás surgem a Peugeot, com 350, a Hyundai, com 247, e a Smart, com 246. BMW e Jaguar venderam 133 unidades cada, enquanto a Mini somou 104 veículos e a Volkswagen entregou 87 viaturas elétricas.



(notícia atualizada)
Ver comentários
Saber mais Portugal Associação Automóvel de Portugal ACAP vendas semestre covid junho
Outras Notícias