Automóvel Vendas de automóveis na UE caem 7,5% em janeiro. Volkswagen reforça liderança

Vendas de automóveis na UE caem 7,5% em janeiro. Volkswagen reforça liderança

As vendas de automóveis ligeiros de passageiros na União Europeia recuaram 7,5% em janeiro em termos homólogos e ficaram pela primeira vez desde 2017 abaixo de um milhão de veículos. O Grupo Volkswagen reforçou a liderança do mercado.
Vendas de automóveis na UE caem 7,5% em janeiro. Volkswagen reforça liderança
Reuters
Pedro Curvelo 18 de fevereiro de 2020 às 15:28

As vendas de automóveis ligeiros de passageiros na União Europeia, excluindo o Reino Unido que saiu da UE no final de janeiro, recuaram 7,5% em janeiro em termos homólogos e ficaram pela primeira vez desde 2017 abaixo de um milhão de veículos, indicou esta terça-feira a Associação dos Construtores Europeus de Automóveis (ACEA).

A ACEA explica a quebra com as alterações fiscais em alguns países, que levaram à antecipação da compra de veículos para dezembro do ano passado, bem como o enfraquecimento da conjuntura económica.

Desta forma, as vendas recuaram nos quatro maiores mercados da UE. A Alemanha, o maior mercado europeu, viu as vendas encolherem 7,3%. O segundo maior mercado, o italiano, sofreu uma quebra de 5,9%, enquanto a França, terceiro país em vendas automóveis, apresentou uma quebra de 13,9%. Por último, também Espanha, quarto mercado da UE, registou uma descida de 7,6%.

Em Portugal, a quebra nas vendas cifrou-se em 8%.

Grupo Volkswagen reforça liderança

O Grupo Volkswagen aumentou a quota de mercado de 24,4% para 26,6%, apesar das vendas terem recuado 0,4%, para 254,8 mil veículos. Entre as marcas do grupo automóvel alemão destacou-se a Porsche, com uma subida de 76,4%, para 4.570 unidades.

A Seat aumentou as vendas em 10,4%, para mais de 33 mil veículos, enquanto a Audi registou uma subida de 6,6%, superando as 46 mil viaturas. A Skoda diminuiu as vendas em 1,4%, para 52,7 mil veículos e a Volkswagen sofreu uma quebra de 6,6%, para 117,1 mil unidades.

O grupo germânico reforçou o domínio no mercado europeu graças às quebras mais expressivas dos principais rivais.

O grupo PSA (Peugeot, Citroën, Opel e DS), liderado por Carlos Tavares, fechou o primeiro mês do ano com um decréscimo de 12,9% nas vendas, para 158,7 mil unidades. A quota de mercado do grupo francês encolheu de 17,6% para 16,6%.

A Peugeot reduziu as vendas em 8,5%, para 68,6 mil automóveis, enquanto a Citroën recuou 6,5%, terminando o mês com 44,3 mil unidades vendidas. A Opel sofreu uma quebra expressiva de 27,5%, para 41,2 mil veículos. A DS contrariou a tendência negativa e viu as vendas dispararem 50,9%, para 4,6 mil unidades.

A grande derrotada de janeiro, contudo, foi a Renault, que viu a sua "fatia" do mercado europeu diminuir de 10,6% para 9,6%. As vendas do grupo gaulês recuaram 16,3%, para 91,9 mil veículos. As marcas com maiores quebras foram a Alpine (-88,1%), Lada (-41,7%) e Dacia (-30,2%). A suster a "hemorragia" esteve a Renault, cujas vendas caíram 7,4%, para 62,9 mil automóveis.

O grupo Hyundai, que agrega a Hyundai e a Kia, aumentou as vendas em 0,5%, para 67 mil veículos e aumentou a quota de mercado em meio ponto percentual, atingindo os 7%.

O grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA) também reforçou o peso no mercado de 6,6% para 6,7%, apesar da descida de 6,7% nas vendas, que se cifraram em 64,1 mil unidades.

A acelerar esteve o grupo BMW, com uma subida de 5,2% nas vendas, para 61,2 mil automóveis, e um ganho de quota de mercado de 0,8 pontos percentuais, para 6,4%.

Também a Toyota viveu um mês positivo, com um incremento de 12,2% nas vendas, para 60,3 mil veículos e uma quota de mercado de 6,3%, mais 1,1 pontos percentuais do que um ano antes.

Ainda com quebras nas vendas surgem a Daimler, casa-mãe da Mercedes, com um decréscimo de 10,4%, a Ford (-22,7%), a Nissan (-4,1%) e a Volvo (-18,1%).




pub

Marketing Automation certified by E-GOI