Automóvel Vendas mundiais da PSA encolheram 10% em 2019

Vendas mundiais da PSA encolheram 10% em 2019

O grupo PSA sofreu uma quebra de 10% nas vendas mundiais de veículos no ano passado. A saída do Irão e as quebras em vários mercados-chave penalizaram a fabricante liderada por Carlos Tavares. Em Portugal a descida foi de 1,1%.
Vendas mundiais da PSA encolheram 10% em 2019
Pedro Curvelo 16 de janeiro de 2020 às 14:46

O grupo PSA (Peugeot, Citroën, DS e Opel) encerrou o ano passado com 3,49 milhões de veículos vendidos em todo o mundo, uma quebra de 10% face aos 3,7 milhões de 2018, indicou esta quinta-feira o fabricante gaulês liderado por Carlos Tavares.

O recuo nas vendas cifrou-se em 6,6% se for excluído o Irão, mercado que o grupo abandonou devido à imposição de Washingotn, que proibiu negócios nos EUA com empresas que tivessem relações comerciais com Teerão. O mercado iraniano representou em 2018 cerca de 144 mil unidades vendidas pela PSA.

O grupo registou um decréscimo de 2,5% nas vendas na Europa, mercado que representa cerca de 87% do volume da PSA. No mercado europeu, as vendas da Peugeot recuaram 2,7% e as da Opel caíram 6,4%, já a Citroën subiu 1,2% e a DS cresceu 22,6%. No "Velho Continente" a quebra nos ligeiros de passageiros cifrou-se em 2,1%.

Na região da China e Sudeste Asiático as vendas afundaram 55,4%, passando esta área a representar apenas 3,3% do total, quando em 2018 valia 6,8%.

Também no Médio Oriente e África a quebra foi substancial: 43,7%. No entanto, esta evolução é influenciada pelo Irão, sendo que excluindo as vendas no mercado iraniano em 2018 o grupo apresenta uma subida de aproximadamente 11%.

A América Latina foi outra das regiões com desempenho negativo, fruto da contração de alguns dos principais mercados, nomeadamente a Argentina e o Chile. As subidas nos mercados mexicano e brasileiro compensaram parcialmente estas quebras. No conjunto, a região registou um decréscimo nas vendas da PSA na ordem dos 22,5%.

Na Índia/Pacífico as vendas cresceram 0,6%, apesar da forte quebra no mercado indiano. No Japão, contudo, a PSA aumentou as vendas em 20%. Na Eurásia o ano fechou com um aumento de 2,3%. Estas duas regiões, no entanto, pesam somente 1,2% nas vendas do fabricante gaulês.

Vendas em Portugal com queda de 1,1%
No mercado português a PSA registou um decréscimo nas vendas na ordem dos 1,1%, tendo alcançado 63.110 veículos vendidos. A quota de mercado do grupo no total de veículos ligeiros subiu, ainda assim, de 23,84% para 24,07%.

A Peugeot consolidou a vice-liderança nos ligeiros de passageiros com um crescimento de 3% e nos comerciais ligeiros as vendas aumentaram 10,3%.

A Citroën, por seu turno, viu as vendas de automóveis de passageiros subirem 9,4%, o que lhe permitiu ascender ao quinto lugar entre as marcas mais vendidas no mercado nacional. Nos comerciais ligeiros, no entanto, as vendas decresceram 18,4%.

Quanto à Opel o ano terminou com um decréscimo de 19,6% nos ligeiros de passageiros e uma subida de 27,6% nos veículos de mercadorias.

Por último, a DS sofreu uma quebra de 15,8% nas vendas em Portugal.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI