Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

12 gráficos que mostram como se portaram os cinco principais bancos em 2018

CGD, BCP, Santander Totta, Novo Banco e BPI já apresentaram resultados. O Negócios mostra como evoluiu a atividade dos cinco principais bancos a operar em Portugal durante 2018.

Crédito bruto desceu em 2018

Crédito bruto desceu em 2018
O crédito bruto desceu de forma generalizada no ano passado. Enquanto o Novo Banco registou uma quebra de 9%, na CGD o recuo foi de 8%. Em 2018 houve venda de carteiras de crédito.

Recursos totais em crescimento

Recursos totais em crescimento
Os recursos totais de clientes, nos quais se incluem os depósitos, registaram um aumento no ano passado. A subida mais expressiva foi no Santander Totta - cresceram 7%. A exceção foi o Novo Banco.

Menos créditos para mais depósitos

Menos créditos para mais depósitos
O rácio de transformação mede o equilíbrio entre crédito e recursos. O indicador está a diminuir, o que significa que os bancos têm menos crédito concedido face aos recursos de clientes.

Produto bancário com evolução mista

Produto bancário com evolução mista
Os bancos registaram uma queda do produto bancário global, ainda que a operação tenha melhorado. O Novo Banco teve a maior queda (no consolidado). Os espanhóis melhoraram.

Margem financeira a crescer

Margem financeira a crescer
A CGD foi o único banco que registou uma descida da margem financeira, ainda que ligeira. Já o Santander Totta foi o que conseguiu melhorar este indicador de forma mais significativa.

Comissões continuam em alta

Comissões continuam em alta
As comissões líquidas aumentaram em 2018. Entre os bancos nacionais foi o Santander Totta o que registou a subida mais acentuada. Mas foi o BCP que mais receitas arrecadou.

Custos mantêm sinal de descida

Custos mantêm sinal de descida
Os custos continuaram a aliviar. O BPI, Novo Banco e e CGD foram os três bancos que mais reduziram as despesas, em 15%, 11% e 9%, respetivamente, no ano passado.

Bancos reduzem imparidades

Bancos reduzem imparidades
A diminuição das imparidades foi um dos principais catalisadores dos resultados positivos do setor, em 2018. A queda mais pronunciada foi a do banco estatal.

Resultados positivos em 2018

Resultados positivos em 2018
Mesmo com os prejuízos de 1,4 mil milhões do Novo Banco, o conjunto dos principais bancos teve lucros em 2018. Foram 375 milhões que seriam 2 mil milhões não fosse o NB.

Fundos próprios estão melhores

Fundos próprios estão melhores
Os rácios de capital CET1 têm vindo a ser reforçados pelos bancos. E o ano passado não foi diferente. O Santander Totta continua a ser o banco com o rácio mais elevado.

Bancos têm menos malparado

Bancos têm menos malparado
Os esforços de redução de crédito malparado estão à vista. O volume dos empréstimos em incumprimento recuou em 7 mil milhões de euros no ano passado.

Rácio de NPL está a recuar

Rácio de NPL está a recuar
O Novo Banco continua a ser o que apresenta o rácio de "Non-Performing Loans" (NPL) mais elevado. Já os bancos espanhóis são os que têm os rácios mais baixos do sistema.
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...
Ver comentários
Saber mais CGD BCP Santander Totta Novo Banco BPI
Mais lidas
Outras Notícias