Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Banco de Portugal admite que avisou Bruxelas quatro dias antes de intervir no BES

O Banco de Portugal contactou informalmente a Comissão Europeia no dia 30 de Julho, alertando-a para a dimensão dos prejuízos que seriam apresentados no dia seguinte pelo BES, noticia hoje o Diário Económico.

Sara Matos/Negócios
Negócios 28 de Outubro de 2014 às 08:53
  • Assine já 1€/1 mês
  • 24
  • ...

O jornal cita uma fonte do regulador português, que explica que a abertura de um processo de monitorização pela Direcção Geral da Concorrência da União Europeia a 30 de Julho se deveu a um alerta feito pelo Banco de Portugal nessa noite.

 

"Naturalmente, o Banco de Portugal manteve e mantém interacções técnicas regulares com o FMI, BCE e Comissão Europeia no quadro do programa de Assistência Económica e Financeira e no âmbito dos mecanismos de acompanhamento do pós-programa. Neste âmbito, o Banco de Portugal mantém interacções com a [Direcção Geral da Concorrência] sobre os bancos portugueses que tenham beneficiado de auxílios de Estado ou que, num cenário de contingência, possam vir a necessitar de recorrer a esses auxílios", afirma um porta-voz do Banco de Portugal, citado pelo Económico.

 

"No caso específico do BES, foi estabelecido um contacto informal a nível técnico com a [Direcção Geral da Concorrência], no dia 30 de Julho à tarde, por causa da dimensão dos resultados negativos que iriam ser anunciados pelo BES nesse dia. Nesse contacto foram discutidos cenários de contingência envolvendo recurso a auxílios do Estado", acrescenta a mesma fonte.

 

O timing do reporte a Bruxelas tem sido muito discutido nas últimas semanas, com a oposição a exigir esclarecimentos e a CMVM a abrir uma investigação sobre a possibilidade de fugas de informação que levaram a uma desvalorização de 60% das acções do BES entre 30 de Julho e 1 de Agosto, quando foi suspensa a negociação dos títulos do banco. O Banco de Portugal anunciaria a intervenção no BES a 3 de Agosto.

 

No entanto, o porta-voz do BdP argumenta que os contactos entre o regulador e a Comissão Europeia "não constituíram qualquer notificação de auxílios de Estado, nem prenúncio dessa notificação".

 

O Ministério das Finanças não quis comentar essa informação. 

Ver comentários
Saber mais Banco de Portugal Comissão Europeia BES Bruxelas banca
Mais lidas
Outras Notícias