Banca & Finanças Banco Popular quer reduzir 2.800 empregados em Espanha

Banco Popular quer reduzir 2.800 empregados em Espanha

O plano de ajustamento, que começará a ser debatido com os sindicatos no final deste mês e inclui fecho de agências, deverá permitir poupar 175 milhões de euros a partir de 2017 e impõe despesas de 375 milhões de euros.
Banco Popular quer reduzir 2.800 empregados em Espanha
DR/Banco Popular
Paulo Zacarias Gomes 13 de setembro de 2016 às 12:01

O espanhol Banco Popular vai reduzir o seu efectivo de trabalhadores no país vizinho em 2.800 pessoas, entre pré-reformas e rescisões amigáveis, avança o jornal "Expansión" esta terça-feira, 13 de Setembro, citando fontes que não identificou.

A entidade deverá apresentar no final deste mês o plano de reestruturação que inclui também o encerramento de agências, devendo depois começar a negociar com os sindicatos. As saídas podem começar já em Outubro, se entretanto o banco chegar a acordo com as estruturas sindicais.

Na semana passada, o CEO do banco, Pedro Larena Landeta (na foto), não quis entrar em pormenores sobre a dimensão das saídas. Mas o Expansión refere que 500 empregados sairão dos serviços centrais, representando um terço do total de funcionários deste departamento. Da rede de agências virá a maior fatia: os 2.300 que restam.

O plano de ajustamento deverá permitir poupar 175 milhões de euros a partir de 2017 e despesas de 375 milhões.

No final do ano, o Banco Popular tinha pouco mais de 15 mil empregado, a esmagadora maioria - 13.480 – a trabalhar em Espanha, onde a instituição tem cerca de duas mil agências.

As acções do Banco Popular caem 0,66% para 1,2 euros na bolsa de Madrid.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI