Banca & Finanças Banif ganha mais de 3% após garantir aumento de capital de 138,5 milhões de euros

Banif ganha mais de 3% após garantir aumento de capital de 138,5 milhões de euros

Os títulos do banco liderado por Jorge Tomé iniciaram o dia a ganhar 3,76% após ser conhecido que já foi garantida a colocação da totalidade do aumento de capital de 138,5 milhões de euros.
Banif ganha mais de 3% após garantir aumento de capital de 138,5 milhões de euros
Negócios 29 de maio de 2014 às 08:38

As acções do Banif já subiram um máximo de 3,76% para 0,0107 euros e seguem agora a ganhar 1,82% para 0,0105 euros, contrariando o sentimento negativo dos restantes títulos do sector bancário.

 

O Banif já garantiu a colocação da totalidade do aumento de capital de 138,5 milhões de euros, apesar de ainda faltarem dois dias para o fim da operação, cujo prazo termina esta sexta-feira, 30 de Maio. 

 

O facto de as ordens de subscrição de novas acções do banco já superarem a oferta disponível vai implicar a realização de rateio, com o objectivo de alocar os títulos em função dos critérios de atribuição definidos. Recorde-se que os actuais accionistas serão beneficiados neste processo, uma vez que lhes foi lhes foi atribuída prioridade na alocação de acções.

 

O aumento de capital que o Banif tem em curso destina-se a concluir o processo de capitalização de 450 milhões de euros a realizar com recurso a investidores privados, um compromisso assumido com o Estado no âmbito do apoio público de 1.100 milhões que o banco recebeu. Deste montante, a instituição liderada por Jorge Tomé já devolveu ao Tesouro 275 milhões relativos a instrumentos de capital contingente ("CoCos").

 
Descodificador: Saiba como funciona o rateio

Com a procura pelas novas acções do Banif a superar a oferta de títulos do banco liderado por Jorge Tomé haverá, no final da operação, lugar a rateio. O Negócios diz-lhe quais os quatro critérios (por ordem) que serão tidos em conta neste processo.

 

1. A cada accionista do Banif serão atribuídas prioritariamente as novas acções em proporção das acções detidas. Por cada 7,34917036 acções, ou o número inferior, recebe uma nova acção do banco liderado por Jorge Tomé;

 

2. Após aplicação do primeiro critério de alocação, as restantes acções serão destinadas a satisfazer simultaneamente os pedidos excedentários dos accionistas e os pedidos de subscrição apresentados pelo público em geral;

 

3. Aos pedidos de subscrição apresentados pelo público em geral, bem como os pedidos apresentados pelos accionistas na medida que exceda a proporção alocada no primeiro critério, serão atribuídas novas acções na sua proporção, com arredondamento por defeito; 

 

4. As novas acções que remanescerem em resultado dos processos de alocação previstos serão atribuídas por sorteio, entre todos os pedidos registados.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI