Banca & Finanças BCP vai reduzir 250 trabalhadores por ano até meados de 2017

BCP vai reduzir 250 trabalhadores por ano até meados de 2017

Estes cortes de pessoal corresponderão, sobretudo, a “saídas naturais de colaboradores que não serão substituídos”, explicou Nuno Amado no Parlamento.
BCP vai reduzir 250 trabalhadores por ano até meados de 2017
Maria João Gago 01 de fevereiro de 2013 às 20:27

O plano de capital do BCP prevê que além das quase mil pessoas que saíram do banco em 2012, possam sair entre 200 a 250 trabalhadores ao ano enquanto durar o plano de apoio público, que termina no final do primeiro semestre de 2017.


“O BCP tem uma estrutura maior do que a que deve ter”, reconheceu Nuno Amado no Parlamento, adiantando que o banco pretende reduzir o quadro de pessoal em 200 a 250 pessoas por ano até meados de 2017, ou seja, até ao fim do apoio do Estado.

 

Estes cortes de pessoal corresponderão, sobretudo, a “saídas naturais de colaboradores que não serão substituídos”, explicou o banqueiro.

 

No ano passado, saíram do banco 970 pessoas, por rescisões amigáveis, pré-reformas e aposentações naturais. O banco "fez, na totalidade, 620 rescisões amigáveis. Umas foram induzidas por nós e outras de pessoas que tinham outras alternativas de vida".

 

As restantes saíram no último trimestre na sequência do programa de rescisões amigáveis, pré-reformas e aposentações naturais levado a cabo pela gestão de Amado.

Num ano o BCP cumpriu o objectivo traçado para 2012 e 2013, que previa a redução de mil postos de trabalho.

 

O banco prevê ainda encerrar mais 50 balcões este ano.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI