Banca & Finanças BE quer mais esclarecimentos de encontro de Salgado com políticos, incluindo Cavaco

BE quer mais esclarecimentos de encontro de Salgado com políticos, incluindo Cavaco

Que respostas foram dadas por Cavaco Silva, Durão Barroso, Passos Coelho e Maria Luís Albuquerque quando contactados por Ricardo Salgado no ano passado?, questiona o Bloco de Esquerda.
BE quer mais esclarecimentos de encontro de Salgado com políticos, incluindo Cavaco
Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro 07 de janeiro de 2015 às 19:13

O Bloco de Esquerda quer mais pormenores sobre as reuniões que Ricardo Salgado teve com vários políticos em 2014, onde terá transmitido informações sobre a delicada situação que o Grupo Espírito Santo passava.

 

"Qual o momento, forma, e teor de todas as diligências tomadas pelo presidente da Comissão Executiva do Banco Espírito Santo junto do Presidente da República, Primeiro-Ministro, ex-Presidente da Comissão Europeia e/ou outros membros do governo?", questiona um requerimento assinado pela deputada Mariana Mortágua, a única representante bloquista na comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES e do GES.

 

Numa carta enviada ao inquérito parlamentar, Ricardo Salgado, que já havia dado conta de encontros com representantes políticos na sua audição de 17 de Dezembro, especificou reuniões com Aníbal Cavaco Silva, Passos Coelho, Durão Barroso e Maria Luís Albuquerque.

 

"[Entregou] à Senhora Ministra de Estado e das Finanças e, ainda, aos Senhores Presidente da República, Primeiro-Ministro e ex-Presidente da Comissão Europeia um ‘memo’ informal sobre a situação do GES e do Banco Espirito Santo e as medidas de recuperação perspectivadas, nessa data. Este ‘memo’ informal foi, naturalmente, contextualizado e complementado por informações prestadas verbalmente em reuniões com estes destinatários", indica a referida resposta do ex-presidente do BES.

 

"Qual foi a resposta - e envolvimento posterior, se disso foi o caso – dessas mesmas entidades?", quer também saber o Bloco de Esquerda, que acredita que há a necessidade "de esclarecimentos adicionais sobre o teor destes contactos, que se desconheciam". Ou seja, o Bloco de Esquerda lança novas questões a Salgado na sequência da carta por si enviada.

 

Salgado havia dito que se tinha encontrado com Maria Luís Albuquerque para que fosse cedido um empréstimo ao grupo, de forma a impedir um efeito sistémico sobre toda a economia portuguesa com a sua derrocada. O Governo rejeitou. Essa indicação de perigo sistémico foi transmitida também a Durão Barroso que, na altura, era presidente da Comissão Europeia.

 

Com Cavaco Silva, o ex-banqueiro confirmou, na audição, ter-se encontrado para falar sobre a garantia estatal dada ao BES Angola, mas não sobre a situação do grupo.

 

Maria Luís Albuquerque já esteve presente na comissão parlamentar de inquérito ao BES e GES. Confirmou ter recusado a ajuda ao GES. Durão Barroso irá responder por escrito. Pedro Passos Coelho e Cavaco Silva não foram convocados para prestar esclarecimentos.

 

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI