Banca & Finanças BES paga juro de 4% para emitir 750 milhões de euros em obrigações a cinco anos

BES paga juro de 4% para emitir 750 milhões de euros em obrigações a cinco anos

Banco colocou mais obrigações a cinco anos do que o inicialmente previsto, aproveitando a procura e a descida do “spread” da operação, que se fixou em 285 pontos base. A procura atingiu 2,5 mil milhões de euros.
BES paga juro de 4% para emitir 750 milhões de euros em obrigações a cinco anos

O Banco Espírito Santo colocou esta segunda-feira no mercado 750 milhões de euros em dívida sénior, sendo que a “yield” final da operação foi fixado em 285 pontos-base acima da taxa de juro de mercado (“mid-swap”).

 

No arranque da operação, esta manhã, o BES tinha indicado como montante indicativo 500 milhões de euros e o “spread” estava em 300 pontos-base.

 

Segundo apurou o Negócios, o BES aproveitou a procura forte e a descida do “spread” para elevar o montante das obrigações colocadas no mercado. A procura, numa altura em que já fecharam os livros de ordens, atingiu 2,5 mil milhões de euros (cinco vezes a oferta inicial e mais de três vezes a final). Foram cerca de 300 os investidores que deram ordens para comprar dívida do banco português.

 

O BES emitiu, entretanto um comunicado em que revela que os investidores estrangeiros subscreveram 95% da emissão.

 

Com taxa “mid swap” a cinco anos a negociar hoje em 1,183% e o spread a ser ficado em 285 pontos base (2,85 pontos percentuais), o BES irá remunerar os investidores com uma taxa de rentabilidade de 4%.

 

O BES, o único entre os grandes bancos portugueses que não recorreu a apoio público para se recapitalizar, foi também o primeiro a emitir obrigações seniores no mercado de dívida internacional em 2012, tendo colocado 750 milhões de euros a três anos.

 

Depois de Portugal solicitar ajuda financeira externa, os bancos portugueses começaram primeiro por emitir dívida garantida pelo Estado português e avançaram depois para a dívida sénior.

 

No final do ano passado foram várias as cotadas que se financiaram, nomeadamente o BES através de uma emissão subordinada.

 

Na semana passada, Portugal também foi ao mercado, tendo contratado um sindicato de bancos para emitir 3,25 mil milhões de euros, a cinco anos e meio, numa operação onde a taxa de juro foi fixada em 4,657%, menos do que na emissão comparável realizada em Maio do ano passado. A procura superou os 11 mil milhões de euros.

 

Também a CGD fez uma emissão no dia 8 de Janeiro, neste caso uma emissão de dívida hipotecária (não comparável com dívida sénior), tendo emitido 750 milhões de euros com uma taxa inferior a 3,2% a cinco anos.

 

(Notícia actualizada às 18h38 com a informação divulgada através de comunicado)