Banca & Finanças BES de Miami deixa de ter Espírito Santo no nome

BES de Miami deixa de ter Espírito Santo no nome

"Sentimos que o legado do nome antigo era prejudicial e negativo para a nossa capacidade de seguir com o negócio", disse o CEO do banco a um jornal norte-americano. Brickell Bank é a nova designação.
BES de Miami deixa de ter Espírito Santo no nome
Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro 27 de julho de 2015 às 19:42

O Espírito Santo Bank de Miami perde o Espírito Santo do nome. Este é um dos passos dados na sequência da venda desta instituição financeira a investidores que incluem os venezuelanos do grupo Benacerraf.

 

Brickell Bank é o novo nome da instituição, como anunciou o BES "mau" em comunicado divulgado através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Foi para esta entidade, que tem os activos e passivos problemáticos do antigo BES, que foi transferido a participação no ES Bank.

 

"A presente alteração de denominação insere-se dentro da estratégia de ‘rebranding’ do Espírito Santo Bank, agora Brickell Bank, e foi consensualizada quer com o BES quer com o adquirente do banco, no quadro da referida operação de venda", indica o mesmo comunicado. O banco está sediado na Avenida Brickell, em Miami, no estado norte-americana da Florida. "O nome do banco é bom porque é neutral, liga-nos a Miami, liga-nos ao centro do dinheiro de Miami", disse ao South Florida Business Journal o presidente executivo da instituição G. Frederick.

 

"Sentimos que o legado do nome antigo era prejudicial e negativo para a nossa capacidade de seguir com o negócio", continuou Reinhardt ao mesmo jornal.

 

A venda pelo BES ao grupo de investidores ainda não está concluída: "A conclusão da venda se encontra sujeita a determinadas condições, designadamente a aprovação pelas competentes autoridades reguladoras". Em Maio, a expectativa era concluir a operação até o mesmo mês de 2015.

 

"O preço da venda ascende a 10 milhões de dólares, o qual pode ser aumentado por um valor equivalente à diferença positiva entre o valor de 5 milhões de dólares, o valor que venha a ser necessário para resolver determinadas contingências pendentes", assinalava o comunicado divulgado em Maio.

Várias autoridades norte-americanas colocaram o Espírito Santo Bank sob olhar atento devido às ligações ao banco do Grupo Espírito Santo no Panamá. São elas o regulador do mercado de capitais (SEC), o organismo do Senado que assegura a confiança no mercado financeiro (FDIC), o regulador da banca da Florida e ainda uma organização de auto-regulação de Wall Street. O banco passou para o BES "mau" a 3 de Agosto de 2014 e esteve em risco de perder a licença bancária. 

(Notícia corrigida às 11h55 de 28 de Julho: o preço de venda ascende a 10 milhões de dólares e não 10 mil milhões como, erradamente, estava escrito)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI