Banca & Finanças Botín diz que Santander não quer só crescer em quota

Botín diz que Santander não quer só crescer em quota

Ana Botín acredita que, apesar de menos rentável, há oportunidades no futuro da banca. O grupo espanhol está a reavaliar a sua transformação. "O nosso objectivo é agora o crescimento orgânico rentável".
Botín diz que Santander não quer só crescer em quota
Negócios 27 de novembro de 2015 às 14:33

A presidente do Santander, Ana Botín, afirmou que o grupo espanhol quer continuar a crescer. Mas não apenas através de aquisições que aumentem o seu mercado.

 

"Já não pensamos em crescimento puramente em termos de quota de mercado ou activos. O nosso objectivo é agora o crescimento orgânico rentável, transformando o nosso modelo comercial, o que nos permitirá maximizar o nosso lucro por acção", assinalou a responsável, em Madrid, na conferência internacional da banca, segundo cita um comunicado do banco.

 

Apesar da reestruturação que fez a nível global, o grupo espanhol tem avançado a ideia de que quer comprar outros bancos – esteve, aliás, na corrida pelo Novo Banco em Portugal. António Vieira Monteiro, presidente do Santander Totta, já defendeu que há espaço e está atento a oportunidades de consolidação.

 

"Internamente, estamos a transformar a nossa organização, a reavaliar como operamos o banco e as fontes das nossas receitas", disse a responsável.

 

Em relação à banca, Ana Botín mostrou-se mais optimista do que o que esperava há uns anos. "O futuro não é o que parecia ser nos anos mais obscuros da crise", defendeu a empresária no banco há mais de um ano.

Mas as coisas vão mudar: "No entanto, o futuro já não é aquilo que era. A verdade é que apesar dos esforços da banca, não é possível alcançar os níveis de rentabilidade anteriores à crise. A boa notícia é que estamos mais perto do fim do que do início deste ciclo que começou com a crise financeira", disse.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI