Banca & Finanças Caixa com prejuízos de 74,2 milhões devido a dívida pública

Caixa com prejuízos de 74,2 milhões devido a dívida pública

A Caixa Geral de Depósitos teve prejuízos de 74,2 milhões no primeiro trimestre, contra lucros de 2,1 milhões no final de Março. As perdas resultaram, sobretudo, da exposição à dívida pública portuguesa. Redução de custos e de imparidades não foi suficiente para compensar os prejuízos da dívida pública.
Caixa com prejuízos de 74,2 milhões devido a dívida pública
Cátia Barbosa/Negócios
Maria João Gago 19 de maio de 2016 às 18:32

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) teve prejuízos de 74,2 milhões de euros nos primeiros três meses deste ano, uma deterioração face aos lucros de 2,1 milhões registados no final de Março do ano passado. A deterioração dos resultados deveu-se, sobretudo, a perdas resultantes da exposição à dívida pública portuguesa, responsável pela queda dos proveitos da CGD.

 

O produto bancário caiu 39,1%, para 305,6 milhões de euros, devido ao facto de os resultados em operações financeiras terem sido negativos, no valor de 97,3 milhões, devido ao impacto da cobertura do risco de taxa de juro das obrigações do Tesouro que a Caixa tem em carteira, sobretudo dívida pública portuguesa, mas também espanhola e italiana. Em Abril, parte destas perdas foram anuladas pela evolução das taxas de juro.

 

No ano passado, os resultados em operações financeiras foram positivos em 94 milhões, graças aos ganhos com a venda de dívida pública e ao impacto positivo dos contratos de cobertura do risco de taxa de juros da dívida pública portuguesa.

Também as comissões líquidas recuaram, 8,5% para 115,6 milhões, penalizando também os proveitos do banco do Estado. Isto apesar de a margem financeira ter aumentado 6,8% para 293,4 milhões.

 

Parte desta quebra foi compensada com a redução dos custos operacionais e com o menor esforço de registo de imparidades. Os gastos recuaram 5,5%, para 303,7 milhões, beneficiando das poupanças geradas pelo Plano Horizonte, o plano de reformas que a CGD tem em curso e que, nos primeiros três meses do ano permitiu a saída de mais 40 trabalhadores, para 8.370. Já no ano anterior a Caixa tinha perdido quase 500 colaboradores.

 

Já as imparidades e provisões recuaram 25,4%, para 84,2 milhões de euros, beneficiando da redução do crédito em risco, que se fixou em 11,9% contra os 12,4% registados no final de Março de 2015. 

(Notícia actualizada às 19:40 com  mais informação sobre a dívida pública que a CGD tem em carteira)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI