Banca & Finanças Carlos Costa garante que Banco de Portugal não foi fonte da notícia da TVI sobre Banif

Carlos Costa garante que Banco de Portugal não foi fonte da notícia da TVI sobre Banif

O governador assegurou que a sua equipa não patrocinou qualquer fuga de informação para a TVI. Carlos Costa garante que, quando saiu a notícia, o Governo já tinha a missiva na sua posse. E disse que a TVI não contactou antes do rodapé. 
Carlos Costa garante que Banco de Portugal não foi fonte da notícia da TVI sobre Banif
Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro 15 de junho de 2016 às 20:21

O director de informação da TVI, Sérgio Figueiredo, esteve em Maio na comissão de inquérito ao Banif, onde disse que a notícia sobre o Banif de 13 de Dezembro tinha tido como base, entre outros pontos, numa carta enviada do Banco de Portugal para o Governo. O governador do Banco de Portugal confirma que a carta existe mas assegura que não foi da sua equipa que saiu a fuga.

 

"Tenho plena confiança nos trabalhadores do Banco de Portugal, não houve nenhuma fuga de informação", declarou Carlos Costa ao deputado social-democrata Luís Marques Guedes na sua terceira audição do inquérito parlamentar esta quarta-feira, 15 de Junho.

 

O governador quis deixar claro que os temas sensíveis foram geridos, no regulador, por uma equipa restrita e que houve mais cartas trocadas entre o Banco de Portugal e o Ministério das Finanças que nunca foram noticiadas. Aliás, segundo Carlos Costa, a notícia da TVI não corresponde ao que está inscrito na carta.

 

Foi num rodapé que a estação de Queluz de Baixo anunciou que o Banif estava a ser fechado e que haveria perdas para depositantes com mais de 100 mil euros. Cerca de 30 minutos depois, a indicação era de que a resolução estava a ser preparada e que aqueles depositantes não iriam sofrer perdas. O director de informação da TVI admitiu um erro no segundo ponto mas disse que a indicação "fecho" era apenas para facilitar a compreensão.

 

Nas respostas ao PSD, Carlos Costa deixou claro que quando a notícia da TVI saiu, a 13 de Dezembro à noite, já o Governo a tinha recebido. A carta seguiu na madrugada daquele dia e chegou nessa altura. Só protocolarmente é que chegou dia 14.

 

Banco de Portugal não foi contactado antes da notícia da TVI

 

Entretanto, sobre a mesma notícia, Carlos Costa assegurou que não houve qualquer tipo de contactos da televisão antes do rodapé ter sido colocado a circular.


"O Banco de Portugal não foi contactado nem antes nem durante", declarou o governador, rejeitando a ideia de Sérgio Figueiredo, que havia dito, no Parlamento, que as partes foram contactadas "antes, durante e depois" da referida notícia.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI