Banca & Finanças CGD à espera de propostas vinculativas pelo banco cabo-verdiano no arranque do ano

CGD à espera de propostas vinculativas pelo banco cabo-verdiano no arranque do ano

Paulo Macedo, presidente da CGD, explicou que o banco está agora em contacto com o Ministério das Finanças de maneira a poder começar a contactar investidores interessados em ficar com o seu banco em Cabo Verde.
CGD à espera de propostas vinculativas pelo banco cabo-verdiano no arranque do ano
Miguel Baltazar/Negócios
Rita Atalaia 08 de novembro de 2019 às 19:53
Paulo Macedo afirma que a Caixa Geral de Depósitos (CGD) espera receber propostas vinculativas pelo banco em Cabo Verde no arranque do próximo ano. Já a venda do banco no Brasil está numa fase mais avançada e prestes a ficar fechada. 

"Estamos neste momento em contacto com o Ministério das Finanças para podermos começar a contactar investidores" que possam estar interessados em comprar os 59% que o banco público detém no Banco Comercial do Atlântico (BCA), afirmou Paulo Macedo na apresentação de resultados para os primeiros nove meses do ano, quando o banco registou lucros de 640 milhões de euros.

O presidente da CGD disse ainda esperar começar a receber "propostas indicativas no primeiro trimestre de 2020". 

A venda do BCA arrancou no final de setembro, com a publicação do decreto-lei em Diário da República. A operação não significa, porém, a saída da Caixa de Cabo Verde. O banco manterá uma participação de 71% no Interatlântico.

Já sobre a venda do Banco Caixa Geral, no Brasil, Paulo Macedo adiantou que estão agora "definidos os candidatos que passaram à fase final" e que terão de entregar propostas vinculativas até 25 de novembro. "Estamos agora na parte de negociação", adiantou, esperando "fazer o closing" da operação após receber as propostas dos possíveis compradores .




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI